Busca avançada
Ano de início
Entree


"Um enjeitado e um sargento de milícias: formação do indivíduo e do romance"

Texto completo
Autor(es):
Gabriela Hatsue Yuasa Azeka
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Sandra Guardini Teixeira Vasconcelos; Flavio Wolf de Aguiar; Jorge Mattos Brito de Almeida; Marisa Philbert Lajolo; Regina Zilberman
Orientador: Sandra Guardini Teixeira Vasconcelos
Resumo

Este trabalho busca investigar o processo de formação do romance enquanto gênero literário na Inglaterra do século XVIII, a partir do paradigma estabelecido por Henry Fielding (1707-1754) em TOM JONES (1749), bem como suas reverberações no processo de formação do romance brasileiro em meados do século XIX, através do exame de MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS(1854), de Manuel Antônio de Almeida (1831-1861). Propomos que TOM JONES incorpora em sua composição uma tensão entre as chamadas esferas da essência e da aparência, ou entre o âmbito interior, privado e individual frente àquele do exterior, público e inerente ao mundo das convenções sociais, o que remete não apenas ao momento de formação do gênero em questão, mas também às condições históricas do meio onde o romance é produzido a partir da configuração da noção de indivíduo burguês. Tal embate não se articula nas MEMÓRIAS com a mesma complexidade e desenvoltura: novamente isso traz à discussão não somente o momento de formação do romance em solo nacional, mas também a peculiaridade das condições históricas brasileiras, pouco propícias à configuração da noção de indivíduo à época da publicação do livro. (AU)

Processo FAPESP: 03/08610-0 - Formacao do romance: um dialogo entre henry fielding e manuel antonio de almeida.
Beneficiário:Gabriela Hatsue Yuasa Azeka
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado