Busca avançada
Ano de início
Entree


Uso sustentável da biodiversidade brasileira : prospecção químico-farmacológica em plantas superiores : Guapira ssp.

Texto completo
Autor(es):
Juliana Aparecida Severi
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Araraquara. 144 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciencias Farmaceuticas.
Data de defesa:
Membros da banca:
Vera Lucia Garcia Rehder; Cid Aimbiré de Moraes Santos; Claudia Helena Pellizzon; Isabele Rodrigues Nascimento
Orientador: Wagner Vilegas
Resumo

Esse trabalho é parte do projeto temático BIOTA-FAPESP: “Uso Sustentável da Biodiversidade Brasileira: Prospecção Químico-Farmacológica de Plantas Superiores” e visa contribuir com a caracterização de espécies presentes no estado de São Paulo, investigando seu potencial químico-medicinal. Dentre as espécies com particular interesse, foram investigadas neste trabalho Guapira opposita, G. noxia e G. graciliflora, pertencentes à família Nyctaginaceae. O estudo químico do extrato clorofórmico das folhas foi conduzido por CG-FID e levou à identificação de esteróides e triterpenos. Os extratos metanólicos das três espécies foram fracionados por técnicas cromatográficas convencionais (permeação em gel, MPLC, HPLC) e as substâncias resultantes foram identificadas através de métodos espectroscópicos e espectrométricos (RMN, IV, UV e EM). Com este estudo, foram identificados em G. opposita onze flavonóides, dois monoacilgliceróis, um ureídeo e um ciclitol; em G. graciliflora cinco saponinas, duas delas inéditas, dois flavonóides e dois monoacilgliceróis; e de G. noxia dois compostos nitrogenados, um hemiterpeno e uma saponina inédita. As análises por HPLC-PDA-ELSD apontaram perfis químicos qualitativamente semelhantes entre as espécies. Dentre as atividades biológicas investigadas nas espécies, verificou-se que o extrato de metanólico de G. noxia possivelmente oferece efeito gastroprotetor na formação de úlceras, por elevar os níveis de glutationa, associado ao efeito antioxidante. Também foi verificada atividade antimicrobiana nos extratos de G.noxia e G. graciliflora, mutagênica em G. opposita e ausência de citotoxicidade em todos os extratos testados. Dessa maneira, este estudo contribui para aprofundar o conhecimento químico-farmacológico sobre espécies de Guapira, que ocorrem no estado de São Paulo (AU)

Processo FAPESP: 06/57512-0 - Uso Sustentável da Biodiversidade Brasileira avaliação quimica-farmacologica de plantas superiores: Guapira spp.
Beneficiário:Juliana Aparecida Severi
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado