Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação da capacidade de indução de diferenciação de células TH17 por células dendríticas estimuladas com células leveduriformes de Paracoccidioides brasiliensis e mecanismos de sinalização intracelular envolvidos

Autor(es):
Maria Carolina Ferreira
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciências Médicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Jacy Gameiro; Luciane Alarcão Dias Melício; Leonilda Maria Barbosa dos Santos; Plínio Trabasso
Orientador: Ronei Luciano Mamoni
Resumo

A paracoccidioidomicose (PCM), causada pelo fungo dimórfico Paracoccidioides brasiliensis (Pb), é a micose sistêmica de maior incidência no Brasil. Estudos anteriores demonstraram que a resistência ou suscetibilidade a essa infecção podem ser associadas, respectivamente, a padrões de resposta Th1 ou Th2. Recentemente, foram descritas novas subpopulações de linfócitos T, dentre elas as células Th17, que tem se mostrado importantes na proteção contra infecções fúngicas, mas cujo papel ainda não foi estudado na PCM humana. A diferenciação de células T CD4+ é modulada após o reconhecimento do patógeno por células dendríticas (DCs) por meio de vários receptores de reconhecimento padrão (PRRs), os quais modulam a diferenciação de células Th1, Th2 e Th17. Neste trabalho investigamos o papel dos receptores TLR2, TLR4 e Dectina-1 no reconhecimento de células leveduriformes de P. brasiliensis (Pb) por DCs derivadas de monócitos, assim como, a capacidade dessas DCs em modular a diferenciação de linfócitos T CD4+. Observamos que DCs expostas a células leveduriformes de Pb apresentam um fenótipo maduro (expressão de CCR7, CD83, CD86 e MHC II) e produzem citocinas (IL- β, IL-6, IL-23, TNF-α e TFG- β), levando à diferenciação de linfócitos T CD4+ produtores de IL-17, IFN-γ, IL-22, IL-17/IL-22 e IL-17/IFN- γ. Também observamos que DCs estimuladas com células leveduriformes de Pb apresentam ativação de moléculas envolvidas na sinalização via TLRs e Dectina-1 (JNK, p38, Akt e ERK para os TLRs e Syk para Dectina-1), e que o bloqueio de Dectina-1 e/ou TLR2 resultou em um número menor de células Th17. Ao analisar a produção de citocinas por células mononucleares do sangue periférico, observamos que pacientes com a FJ da PCM apresentam produção aumentada de IL-4 e que pacientes com a FA apresentam produção elevada de IL-17 e IFN- γ. Em conjunto nossos resultados demonstram que a Dectina-1 e TLR2 são os receptores mais importantes para o reconhecimento de leveduras de Pb por células dendríticas e que esse reconhecimento pode levar à diferenciação de linfócitos T efetores produtores de IL-17 e IFN- γ. Além disso, podemos concluir que a FA da PCM apresenta uma resposta imunológica mista, com participação de linfócitos Th17. (AU)

Processo FAPESP: 09/05608-1 - Avaliação da capacidade de indução de diferenciação de células Th17 por células dendríticas estimuladas com antígenos de Paracoccidioides brasiliensis e mecanismos de sinalização intracelular envolvidos.
Beneficiário:Maria Carolina Ferreira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado