Busca avançada
Ano de início
Entree


Padrões reprodutivos em myrtaceae : uma abordagem ecológica e filogenética

Autor(es):
Vanessa Graziele Staggemeier
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Rio Claro. 125 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Rio Claro).
Data de defesa:
Membros da banca:
Marco Aurélio Pizo Ferreira; Eliana Cazetta
Orientador: Leonor Patricia Cerdeira Morellato
Resumo

O centro de origem e diversificação da tribo Myrteae (Myrtaceae) é a América do Sul. Esse grupo de plantas tem suprema importância na estrutura do ecossistema de Floresta Atlântica, apresentando uma ampla variação nos padrões fenológicos expressa em um grande número de espécies. Estas características permitem utilizar este grupo como modelo para avaliar a importância dos fatores filogenéticos e ecológicos atuando na reprodução das plantas. Os padrões reprodutivos de 34 espécies (550 indivíduos) de Myrteae foram investigados por 30 meses, em intervalos mensais, no sudeste do Brasil. Neste ambiente sem sazonalidade climática, o aumento no comprimento do dia foi o principal fator relacionado ao início da reprodução dessas plantas. Comparando o padrão fenológico observado contra os modelos nulos nos encontramos que a floração foi significantemente agrupada com um maior número de espécies apresentando botões florais e flores entre dezembro e janeiro. 0 padrão de frutificação foi ao acaso e não houve evidência de que os fatores climáticos limitassem a maturação dos frutos. Nós avaliamos também a inércia filogenética em algumas características reprodutivas morfológicas e fenológicas, através dos métodos de PVR (phylogenetic eigenvectors regression), e encontramos que as características morfológicas tem maior inércia filogenética do que as características fenológicas. Este resultado sugere que as características de história de vida das plantas são evolutivamente mais flexíveis do que as características morfológicas. Nós encontramos que o nicho reprodutivo das espécies (representado pelas condições climáticas ocorrentes no momento da reprodução) explica parte da variação nos padrões fenológicos de Myrtaceae, e a variação restante é explicada pela associação deste nicho com a filogenia não sendo possível separar a contribuição de cada um; essa variação compartilhada ... (AU)

Processo FAPESP: 05/57739-1 - Fenologia de Myrtaceae em três formações vegetais de Floresta Atlântica
Beneficiário:Vanessa Graziele Staggemeier
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado