Busca avançada
Ano de início
Entree


Modeling the performance impact of hot code misprediction in Cross-ISA virtual machines = : Modelagem do impacto de erros de predição de código quente no desempenho de máquinas virtuais

Autor(es):
Divino César Soares Lucas
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Computação
Data de defesa:
Membros da banca:
Fernando Quintão Magno Pereira; Sandro Rigo
Orientador: Guido Costa Souza de Araújo
Resumo

Máquinas virtuais (MVs) são sistemas que se propõem a eliminar a incompatibilidade entre duas, em geral diferentes, interfaces e dessa forma habilitar a comunicação entre diferentes sistemas. Nesse sentido, atuando como mediadores, uma MV está em um ponto que a permite fomentar o desenvolvimento de soluções inovadoras para vários problemas. Tais sistemas geralmente utilizam técnicas de emulação, por exemplo, interpretação ou tradução dinâmica de binários, para executar o código da aplicação cliente. Para determinar qual técnica de emulação é a ideal para um trecho de código geralmente é necessário que a MV empregue algum tipo de predição para determinar se o benefício de compilar o código supera os custos. Este problema, na maioria dos casos, resume-se a predizer se o dado trecho de código será frequentemente executado ou não, problema conhecido pelo nome de Predição de Código Quente. Em geral, se o preditor sinalizar um trecho de código como quente, a MV imediatamente toma a decisão de compilá-lo. Contudo, um problema surge nesta estratégia, à resposta do preditor é apenas a decisão de uma heurística e é, portanto, suscetível a erros. Quando o preditor sinaliza como quente um trecho de código que não será frequentemente executado, ou seja, um código que de fato é "frio", ele está fazendo uma predição errônea de código quente. Quando uma predição incorreta é feita, ocorre que a técnica de emulação que a MV utilizará para emular o trecho de código não compensará o seu custo e, portanto a MV gastará mais tempo executando o seu próprio código do que o código da aplicação cliente. Neste trabalho, foi avaliado o impacto de predições incorretas de código quente no desempenho de MVs emulando vários tipos de aplicações. Na análise realizada foi avaliado o preditor de código quente baseado em limiar, uma técnica frequentemente utilizada para identificar regiões de código que serão frequentemente executadas. Para fazer esta análise foi criado um modelo matemático para simular o comportamento de tal preditor e a partir deste modelo uma série de resultados puderam ser explorados. Inicialmente é mostrado que este preditor frequentemente erra a predição e, como conseqüência, o tempo gasto fazendo compilações torna-se o maior componente do tempo de execução da MV. Também é mostrado como diferentes limiares de predição afetam o número de predições incorretas e qual o impacto disto no desempenho da MV. Também são apresentados resultados indicando qual o impacto do custo de compilação, tradução e velocidade do código traduzido no desempenho da MV. Por fim é mostrado que utilizando apenas o conjunto de aplicações do SPEC CPU 2006 para avaliar o desempenho de MVs que utilizam o preditor de código quente baseado em limiar pode levar a resultados imprecisos. (AU)

Processo FAPESP: 11/05028-5 - Algoritmos e suporte em hardware para projeto de máquinas virtuais eficientes
Beneficiário:Divino César Soares Lucas
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado