Busca avançada
Ano de início
Entree


Ciclos mitológicos nas Fabulae de Higino : tradução e análise

Autor(es):
Diogo Martins Alves
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Estudos da Linguagem
Data de defesa:
Membros da banca:
Joaquim Brasil Fontes Júnior; Matheus Trevizam
Orientador: Isabella Tardin Cardoso
Resumo

A relevância da obra "Fábulas" (Fabulae), atribuída a um certo Higino, tende a ser cada vez mais reconhecida nos estudos mitográficos, embora estudiosos divirjam quanto ao valor da obra em si, considerada desde uma mera e medíocre tradução de um único compêndio grego, hoje perdido, até o mais importante manual de mitologia legado pela Antiguidade greco-romana. Esta pesquisa, que tem como corpus as fábulas I a CXXV (os quatorze primeiros ciclos mitológicos e a fábula Odisséia) não tem por pretensão qualificar a obra naqueles termos: o intuito é, antes, observar seu texto (com destaque a características relacionadas a sua língua, estilo e gênero), investigando, inclusive, a relevância de tais aspectos para o estudo mais geral dos mitos ali referidos (entre eles, inclusive, mitos para os quais hoje Higino é a única fonte antiga). Para tanto, o texto do primeiro ciclo mitológico (Fab. I a VI) é cotejado com a narrativa que Ovídio faz dos mesmos mitos (Met. IV. 512-542; 563-603; Fast. III. 853-876 e VI. 473-562). Analisa-se, em seguida, a fabula CXXV. Odisséia e suas relações com a obra homônima de Homero. A partir da tradução do corpus anotada para a língua portuguesa (inédita, ao que saibamos, no Brasil), elencamos aspectos do estilo "objetivo" que caracteriza a obra Fabulae como um compêndio mitológico. (AU)

Processo FAPESP: 10/13414-0 - Ciclos mitológicos nas Fabulae de Higino: tradução e análise
Beneficiário:Diogo Martins Alves
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado