Busca avançada
Ano de início
Entree


Modulação das vias de sinalização de sobrevivência, ciclo celular, resistência e potencial metastático pela etoxzolamida na linhagem celular de adenocarcinoma ductal de pâncreas humano (PANC-1) = : Modulation of survival, cell cycle, resistance signaling pathways and metastatic potential by ethoxzolamide in human pancreatic ductal adenocarcinoma cell line (PANC-1)

Autor(es):
Cintia Elisabeth Gomez Limia
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia
Data de defesa:
Membros da banca:
Ana Carolina Santos de Souza Galvão; José Andréa Yunes
Orientador: Carmen Veríssima Ferreira Halder
Resumo

O câncer de pâncreas é considerado a quarta causa de morte por doenças malignas nos países ocidentais. Entre os tipos de câncer de pâncreas exócrino cerca de 80-90% dos casos correspondem ao adenocarcinoma ductal, um câncer altamente agressivo, invasivo, potencialmente metastático e altamente resistente às quimio e radioterapias convencionais. Deste modo, novos compostos que diminuam o comportamento agressivo das células de câncer de pâncreas são necessários. Atualmente os inibidores das anidrases carbônicas (IAC), da família das sulfonamidas heterocíclicas/aromáticas (ex. etoxzolamida - EZA), estão sendo estudados como agentes antitumorais, antiepilépticos, entre outros. No entanto, pouco se sabe sobre o mecanismo molecular de ação antitumoral destes compostos. Deste modo, pela primeira vez, foi avaliado o efeito da EZA em câncer de pâncreas e outros tipos de tumores sólidos (melanoma e próstata) com fenótipos altamente agressivos. As linhagens celulares SKMel-103 (melanoma) e PANC-1 (câncer de pâncreas) apresentaram sensibilidade similar frente à EZA nos tempos de tratamentos de 48 e 72 h, PC-3 (câncer de próstata) apresentou maior resistência. Diante destes resultados prévios, e tendo em vista o interesse do nosso grupo de pesquisa em entender melhor a biologia do câncer de pâncreas, foi escolhida a linhagem celular PANC-1. O objetivo principal deste projeto foi estudar o mecanismo molecular de ação pela qual a EZA diminui a proliferação e a agressividade tumoral, analisando a expressão e função de biomarcadores chaves destes processos. EZA diminuiu a viabilidade das células PANC-1 (IC50 = 222 μM) e induziu parada do ciclo celular na fase G0/G1 o que foi confirmado pelo decréscimo da expressão das proteínas chaves do ciclo celular, como ciclina D1 e CDK4. Adicionalmente, a expressão da quinase Pim-1, associada com resistência e sobrevivência foi marcadamente diminuída, sendo observada também uma redução da expressão da P-glicoproteína (Pgp), proteína associada com resistência a múltiplas drogas. Adicionalmente foi observado um aumento da atividade da quinase AKT, resultado que foi relacionado com o estresse no retículo endoplasmático (ERE). De forma interessante tanto a expressão quanto a atividade das metaloproteinases (MMPs) foram diminuídas, assim como a expressão da integrina αvβ3 e FAK, proteínas que estão relacionadas com fenótipos agressivos e invasivos do câncer de pâncreas. Deste modo, nossos resultados mostram, pela primeira vez, detalhes moleculares da ação antitumoral da EZA, os quais reforçam o potencial desta classe de compostos como interessantes agentes quimioterápicos. (AU)

Processo FAPESP: 11/03517-9 - Avaliação da contribuição da anidrase carbônica para a resistência e agressividade de células tumorais
Beneficiário:Cintia Elisabeth Gomez Limia
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado