Busca avançada
Ano de início
Entree


Estabilização segmentar lombar e TENS na hérnia discal lombar: um ensaio clínico randomizado

Texto completo
Autor(es):
Fabio Jorge Renovato França
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina
Data de defesa:
Membros da banca:
Amelia Pasqual Marques; José Alexandre Bachur; Elizabeth Alves Gonçalves Ferreira
Orientador: Amelia Pasqual Marques
Resumo

INTRODUÇÃO: A hérnia de disco lombar (HDL) acomete cerca de 5% dos pacientes com de dor lombar e o tratamento cirúrgico nestes casos é cada vez menos indicado, optando-se, na maior parte dos casos, pelo conservador. Embora o método estabilização lombar (EL) e a estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS) tenham mostrado bons resultados em indivíduos portadores de dor lombar inespecífica, há escassa literatura que tenha verificado a eficácia destes tratamentos isoladamente em sujeitos acometidos por hérnia de disco lombar. OBJETIVO: Comparar a eficácia dos exercícios de estabilização lombar e da TENS na dor, incapacidade funcional, e capacidade de ativação do músculo transverso do abdome (TrA) de indivíduos com hérnia de disco lombar. METODOLOGIA: Participaram da pesquisa 40 indivíduos com idade variando de 25 a 58 anos com dor lombar e hérnia de disco, e foram randomizados em dois grupos: Grupo estabilização lombar (EL) (exercícios específicos para os músculos TrA e multífido lombar(ML)) (n=20) e Grupo TENS (GT) (n=20) que receberam atendimento com corrente de estimulação elétrica nervosa transcutânea. Foram avaliados quanto à dor (Escala Visual Analógica e Questionário McGill de Dor), incapacidade funcional (Índice de Incapacidade de Oswestry), e capacidade de recrutamento do TrA (Unidade de Biofeedback Pressórico-UBP). Os grupos foram tratados em duas sessões semanais com duração de 60 minutos por oito semanas. Cada indivíduo foi avaliado antes e após o tratamento. O nível de significância estabelecido foi de alfa=0,05. RESULTADOS: Após oito semanas, o grupo estabilização lombar mostrou melhora significativa na dor (p < 0,001), incapacidade funcional (p < 0,001), e capacidade de ativação do TrA (p < 0,001). O grupo TENS apresentou diferença estatisticamente significante apenas na dor (p < 0,012). A estabilização foi superior à TENS na melhora na dor (p < 0,001), incapacidade funcional (p < 0,001), e capacidade de ativação do TrA (p < 0,001). CONCLUSÃO: Os resultados indicam que a estabilização é efetiva na melhora da dor, incapacidade funcional, e capacidade da ativação do TrA, e a TENS apenas na dor. A estabilização foi superior à TENS em todas as variáveis (AU)

Processo FAPESP: 10/05737-3 - Estabilização Segmentar Lombar na hérnia discal lombar: um ensaio clínico randomizado
Beneficiário:Fábio Jorge Renovato França
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado