Busca avançada
Ano de início
Entree


Participação da enzima aldeído desidrogenase 2 na insuficiência cardíaca induzida por infarto do miocárdio.

Texto completo
Autor(es):
Katia Maria Sampaio Gomes
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Julio Cesar Batista Ferreira; Elen Haruka Miyabara; Edilamar Menezes de Oliveira
Orientador: Julio Cesar Batista Ferreira
Resumo

A formação de aldeídos decorrente do estresse oxidativo é cardiotóxica e contribui para o aparecimento das doenças cardiovasculares. O aldeído 4-hidroxi-2-nonenal (4HNE) apresenta grande poder nocivo cardíaco. A enzima mitocondrial aldeído desidrogenase 2 (ALDH2) é a principal responsável pela remoção do 4HNE, sendo que a ativação farmacológica da ALDH2 previne danos cardíacos oriundos do processo de isquemia/reperfusão. Com o intuito de compreender o papel desta enzima na insuficiência cardíaca (IC) tivemos como objetivos: caracterizar o curso temporal de ativação da ALDH2 pós-infarto do miocárdio em ratos e estudar o efeito da ativação farmacológica sustentada da ALDH2 na IC. Nossos resultados apontam que na 1ª, 2ª e 4ª semanas pós-infarto a atividade da ALDH2 apresenta-se reduzida. Essa redução está associada à disfunção mitocondrial e cardíaca. Contudo, o tratamento com Alda-1 proporciona uma melhora dessas funções. Assim, concluímos que a ativação seletiva da ALDH2 reduz danos cardíacos, podendo ser considerada um novo alvo terapêutico no tratamento da IC. (AU)

Processo FAPESP: 12/02654-5 - Participação da enzima aldeído desidrogenase 2 ná insuficiência cardíaca induzida pôr infarto do miocárdio
Beneficiário:Kátia Maria Gomes Andrade
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado