Busca avançada
Ano de início
Entree

PROCESSO DE PURIFICAÇÃO DE PROTEÍNAS SOLÚVEIS DAS CERDAS DA L. OBLÍQUA COM ATIVIDADE ATIVADORA DE PROTROMBINA; PROCESSO PARA DETERMINAÇÃO PARCIAL DA SEQUÊNCIA DE AMINOÁCIDOS DO ATIVADOR DE PROTROMBINA; PROCESSO DE DETERMINAÇÃO DA ATIVIDADE ATIVADORA DE PROTROMBINA DA FRAÇÃO II, SEQUÊNCIA N-TERMINAL E SEQUÊNCIA DE FRAGMENTOS INTERNOS DA FRAÇÃO ATIVADORA DE PROTROMBINA, ATIVADOR DE PROTROMBINA E USO DO ATIVADOR DE PROTROMBINA

Tipo de documento:Patente
Inventor(es): Ana Marisa Chudzinski-Tavassi; Cleyson Valença Reis
Depositante: Ana Marisa Chudzinski-Tavassi ; Biolab Sanus Farmacêutica Ltda ; Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data do depósito: 31 de janeiro de 2002
Registro INPI:
PI0200269-8 - Consulta INPI
IPC: C07K 14/435 C07K 1/16 C12Q 1/56
Patente licenciada para a empresa: Coinfar
Resumo

"PROCESSO DE PURIFICAÇÃO DE PROTEÍNAS SOLÚVEIS DAS CERDAS DA L. OBLIQUA COM ATIVIDADE ATIVADORA DE PROTROMBINA; PROCESSO PARA DETERMINAÇÃO PARCIAL DA SEQÜÊNCIA DE AMINOÁCIDOS DO ATIVADOR DE PROTROMBINA; PROCESSO DE DETERMINAÇÃO DA ATIVIDADE ATIVADORA DE PROTROMBINA DA FRAÇÃO II, SEQÜÊNCIA N-TERMINAL E SEQÜÊNCIA DE FRAGMENTOS INTERNOS DA FRAÇÃO ATIVADORA DE PROTROMBINA, ATIVADOR DE PROTROMBINA E USO DO ATIVADOR DE PROTROMBINA". A presente invenção refere-se a um processo de purificação de proteínas solúveis das cerdas da L. obliqua com atividade ativadora de protrombina; ao processo para determinação parcial da seqüência de aminiácidos do ativador de protrombina; ao Processo de determinação da atividade ativadora de Protrombina da fração II bem como a seqüência n-terminal e seqüência de fragmentos internos da fração ativadora de protrombina ao ativador de protrombina e ao uso do ativador de protrombina partindo-se da homogeneização das cerdas de L. obliqua. A presente invenção vem comprovar que um único componente do veneno da Lonomia obliqua, Lopap, causa a síndrome hemorrágica diretamente pela ativação de protrombina e, portanto, deveria encaminhar uma terapia no caso de acidentes com Lonomia obliqua. De acordo com a presente invenção o Lopap é um novo ativador de protrombina, o que é um importante fator responsável pela coagulopatia de consumo, encontrado em pacientes envenenados por L. oblíqua. Em doses baixas a proteína purificada, pela sua capacidade de ativar protrombina gerando trombina, retira da circulação de forma controlada o fibrinogênio, transformando-o em microcoágulos de fibrina. Esta diminuição da concentração plasmática de fibrinogênio permite que o tempo de coagulação do sangue se prolongue e, portanto, impede a trombose vascular aguda. Pelo fato de não possuir atividade proteolítica a proteína manteria a capacidade coagulante do fibrinogênio não consumido no processo. Desta forma a concentração plasmática de fibrinogênio seria diminuída, porém, não haveria predisposição para um estado hemorrágico. Além disso, poderia ser utilizada na confecção de KITS diagnósticos para detecção de protrombina plasmática.


Processo FAPESP: 98/11380-7 - Clonagem, sequenciamento e determinação da estrutura terciária do ativador de protrombina da lagarta Lonomia obliqua
Beneficiário:Cleyson Valença Reis
Pesquisador responsável:Ana Marisa Chudzinski-Tavassi
Instituição: Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). Instituto Butantan
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado