Busca avançada
Ano de início
Entree

Marcelo Belentani de Bianchi

CV Lattes GoogleMyCitations


Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG)  (Instituição-sede da última proposta de pesquisa)
País de origem: Brasil

Possui graduação em Geofísica pelo Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (2003) e doutorado em Geofísica pelo Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (2008). Trabalhou como pesquisador para a empresa Schlumberger em Stavanger/Noruega (2011) desenvolvendo metodologia para interpretação de dados sísmicos e como pesquisador no instituto GeoForschungsZentrum/Potsdam/Alemanha com implantação de infraestrutura para aquisição e compartilhamento de dados para pesquisa da rede GEOFON (2011-2012). Desde 2013 é professor doutor da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Sismologia com ênfase em aquisição, processamento e compartilhamento de dados. Na área de pesquisa atua nos seguintes temas: função do receptor, tomografia, detecção de tremores de terra em tempo real, coleta de dados macrosismico com foco na estrutura da crosta e manto. Dentro do Centro de Sismologia do IAG/USP atua na manutenção dos serviços oferecidos para pesquisa e divulgação mantendo uma política de dados abertos e acessíveis dentro do mesmo. (Fonte: Currículo Lattes)

Bolsas no país
Apoio FAPESP em números * Quantidades atualizadas em 15/02/2020
2 Bolsas no país concluídas

Processos vinculados
Colaboradores mais frequentes em auxílios e bolsas FAPESP
Contate o Pesquisador

Este canal da BV/FAPESP deve ser utilizado tão somente para mensagens, referentes aos projetos científicos financiados pela FAPESP.


 

 

 

 

Palavras-chave utilizadas pelo pesquisador
Videos relacionados aos auxílios à pesquisa e bolsas

SP Pesquisa - Subsolo brasileiro - 2º Bloco

Publicado em 9 de maio de 2015 - SP Pesquisa - Subsolo brasileiro - 2º Bloco. Para medir a espessura da crosta brasileira, uma equipe de geofísicos realizou explosões em vários pontos do Estado de São Paulo, por meio de uma técnica que analisa a propagação das ondas de choque no interior da Terra. O SP Pesquisa acompanhou a instalação dos instrumentos de medida e uma das explosões realizadas para a pesquisa. Esse esforço para determinar a espessura da crosta também integra uma pesquisa realizada no IAG-USP para explicar os tremores de terra que existem no Brasil. De acordo com uma das investigações apresentadas no programa, existe uma correlação entre a sismicidade brasileira e o excesso de massa no interior da crosta. Em áreas de crosta mais fina, há maior interface entre a crosta e o manto, que é mais denso. Os pesquisadores constataram que as tensões criadas durante essa interface podem ser suficientes para induzir tremores de terra. O programa explica por que e como isso acontece.

Publicações resultantes de Auxílios e Bolsas sob responsabilidade do(a) pesquisador(a) (1)

(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)

HEIT‚ B.; SODOUDI‚ F.; YUAN‚ X.; BIANCHI‚ M.; KIND‚ R.. An S receiver function analysis of the lithospheric structure in South America. Geophysical Research Letters, v. 34, n. 14, p. L14307, . (04/04958-5)

Por favor, reporte erros na informação da página do pesquisador escrevendo para: cdi@fapesp.br.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema: