Busca avançada
Ano de início
Entree

Paulo Cézar Vieira

CV Lattes GoogleMyCitations ResearcherID ORCID


Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP)  (Instituição-sede da última proposta de pesquisa)
País de origem: Brasil

Paulo Cezar Vieira concluiu o doutorado em Química Orgânica pela Universidade de São Paulo em 1982. Realizou pós-doutorados no Departamento de Entomologia da Universidade da California em Berkeley e na Boston University. Atualmente é Professor Titular da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo e aposentado da Universidade Federal de São Carlos. Publicou mais de 200 artigos em periódicos especializados. Possui vários capítulos de livros e 2 livros publicados. Orientou 12 dissertações de mestrado e 32 teses de doutorado e co-orientou 2 teses de doutorado na área de Química. Atua na área de Química, com ênfase em Química dos Produtos Naturais. Em suas atividades profissionais interagiu com mais de 200 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Química e da Federação Latinoamericana de Química. Atualmente é coordenador dos editores do Journal of the Brazilian Chemical Society. Em seu currículo Lattes os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Rutaceae, Meliaceae,Trypanosoma cruzi, Limonoids, Produtos naturais, cumarinas, Atividade antimicrobiana, antiparasitários e inibidores enzimáticos. (Fonte: Currículo Lattes)

Auxílios à pesquisa
Bolsas no país
Apoio FAPESP em números * Quantidades atualizadas em 27/02/2021
Colaboradores mais frequentes em auxílios e bolsas FAPESP
Contate o Pesquisador

Este canal da BV/FAPESP deve ser utilizado tão somente para mensagens, referentes aos projetos científicos financiados pela FAPESP.


 

 

 

 

Palavras-chave utilizadas pelo pesquisador
Videos relacionados aos auxílios à pesquisa e bolsas

SP Pesquisa - A medicina na floresta - 1º Bloco


Publicado em 15 de agosto de 2015 - SP Pesquisa - A medicina na floresta - 1º Bloco. O potencial medicinal da biodiversidade brasileira é incalculável e pode ter o caminho para o tratamento de inúmeras doenças. O desafio de realizar esse potencial e de transformar essa matéria-prima encontrada na natureza em fármacos é enfrentado pelo Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos (CIBFar), CEPID criado em 2013 e financiado pela FAPESP. Coordenado por Glaucius Oliva, ex-presidente do CNPq, e instalado no Instituto de Física de São Carlos da USP, o centro dá atenção especial à busca por tratamentos contra as chamadas doenças negligenciadas (assim chamadas porque normalmente atingem as populações mais pobres do planeta e, por isso, não atraem o interesse das companhias farmacêuticas), como leishmaniose, doença de Chagas e malária.

SP Pesquisa - A medicina na floresta - 2º Bloco


Publicado em 15 de agosto de 2015 - SP Pesquisa - A medicina na floresta - 2º Bloco. O potencial medicinal da biodiversidade brasileira é incalculável e pode ter o caminho para o tratamento de inúmeras doenças. O desafio de realizar esse potencial e de transformar essa matéria-prima encontrada na natureza em fármacos é enfrentado pelo Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos (CIBFar), CEPID criado em 2013 e financiado pela FAPESP. Coordenado por Glaucius Oliva, ex-presidente do CNPq, e instalado no Instituto de Física de São Carlos da USP, o centro dá atenção especial à busca por tratamentos contra as chamadas doenças negligenciadas (assim chamadas porque normalmente atingem as populações mais pobres do planeta e, por isso, não atraem o interesse das companhias farmacêuticas), como leishmaniose, doença de Chagas e malária.

Publicações acadêmicas

(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

AMBROZIN, Alessandra Regina Pepe. Estudo fitoquímico de plantas das famílias Rutaceae e Meliaceae visando o isolamento de substâncias protótipos para o desenvolvimento de novos fármacos antichagásicos e antileischmanioses.  241 f. Tese (Doutorado) -  Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia.  Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).  São Carlos.  (00/00079-6

Por favor, reporte erros na informação da página do pesquisador escrevendo para: cdi@fapesp.br.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema: