Busca avançada
Ano de início
Entree

Gustavo Pamplona Rehder

CV Lattes ORCID


Universidade de São Paulo (USP). Escola Politécnica (EP)  (Instituição Sede da última proposta de pesquisa)
País de origem: Brasil

Graduado em Engenharia Elétrica, Computação e Informação - Arkansas State University (2003), mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade de São Paulo (2005) e doutorado em Engenharia Elétrica pela Universidade de São Paulo (2008). Realizou pós-doutorado no Laboratório TIMA em Grenoble, França em 2009 e no Laboratório IMEP-LAHC em 2010 e 2011. É professor associado do Departamento de Sistemas Eletrônicos da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Faz parte do Laboratório de Microeletrônica da USP onde desenvolve projetos ligados ao desenvolvimento de circuitos e sistemas em ondas milimétricas, com especial interesse em Sistemas Micro-eletro-mecânicos (MEMS), novos processos de fabricação, integração 3D e interposers. (Fonte: Currículo Lattes)

Matéria(s) publicada(s) no Pesquisa para Inovação FAPESP sobre o(a) pesquisador(a):
Centro de Ondas Milimétricas na USP permite testar e desenvolver tecnologias para o 5G 
Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o(a) pesquisador(a)
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)
Auxílios à pesquisa
Bolsas no país
Apoio FAPESP em números * Quantidades atualizadas em 04/02/2023
Contate o Pesquisador

Este canal da BV/FAPESP deve ser utilizado tão somente para mensagens, referentes aos projetos científicos financiados pela FAPESP.


 

 

 

 

Palavras-chave utilizadas pelo pesquisador
Videos relacionados aos auxílios à pesquisa e bolsas

Centro de pesquisa na USP permite testar e desenvolver tecnologias para a rede 5G


Publicado em 20 de março de 2020 - Agência FAPESP. Foi inaugurado na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) o Centro de Ondas Milimétricas (Centro mmW). Equipada com um analisador vetorial de rede (vna) , de até 70-ghz, com apoio da FAPESP, a infraestrutura permite a empresas e grupos de pesquisa realizarem medidas e desenvolverem equipamentos, circuitos e dispositivos de telecomunicação projetados para operar em frequências de até 110 Gigahertz (GHz).

Por favor, reporte erros na informação da página do pesquisador escrevendo para: cdi@fapesp.br.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema: