Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Muscleskeletal pain in dysphonic women

Título (Português): Dor musculoesquelética em mulheres disfônicas
Texto completo
Autor(es):
Kelly Cristina Alves Silverio ; Larissa Thaís Donalonso Siqueira ; José Roberto Pereira Lauris ; Alcione Ghedini Brasolotto
Número total de Autores: 4
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: CoDAS; v. 26, n. 5, p. 374-381, Out. 2014.
Resumo

Objective:To investigate the location, frequency and intensity of muscle pain in dysphonic functional/organofunctional women in comparison to women with healthy voices.Methods:Sixty women, ranging in age from 18 to 45 years, divided into two groups: Dysphonic Group (DG) – 30 women with functional or organofunctional dysphonia; Non-Dysphonic Group (NDG) – 30 women without vocal complaints, and with adapted voices. All answered a protocol, marking the localization, frequency and intensity symptoms of pain on the temporal area, masseters, submandibular areas, larynx/pharynx, front and back of the neck, shoulders, upper back, lower back, elbows, fists/hands/fingers, hip/this, knees and ankles/feet. The volunteer should report the frequency in which pain was present in the last 12 months: no, rarely, frequently or always. The intensity of pain was measured by visual-analogue scales. The DG and NDG groups were compared using the Mann-Whitney test (p<0.05).Results:The women of the DG reported significantly greater frequency of submandibular area (p=0.008), laryngeal pain (p<0.001), front of the neck (p=0.015), back of the neck (p=0.001), shoulder pain (p=0.027), upper back (p=0.027) and also reported significant greater intensity of pain in the larynx/pharynx (p=0.022) and back of the neck (p=0.003).Conclusion:The frequency and intensity of musculoskeletal pain was more frequent and more intense in dysphonic women than in women without vocal complaints, showing that pain may be related to functional and organofunctional dysphonia in women. (AU)

Resumo

Objetivo:Investigar a localização, frequência e intensidade da dor muscular em mulheres com disfonia funcional/organofuncional e comparar com um grupo de mulheres com vozes saudáveis.Métodos:Participaram 60 mulheres, entre 18 e 45 anos, divididas em dois grupos: Disfônico (GD) – 30 mulheres com disfonia funcional/organofuncional; Não Disfônico (GND) – 30 mulheres sem queixas vocais, sem alterações vocais. Todas responderam a um protocolo para localização, frequência e intensidade da dor. Foram investigadas as regiões: temporal, masseteres, submandibular, laringe/faringe, parte anterior/posterior do pescoço, ombros, parte superior/inferior das costas, cotovelos, punhos/mãos/dedos, quadril/coxas, joelhos, tornozelos/pés. A voluntária deveria assinalar a frequência em que a dor esteve presente nos últimos 12 meses: não, raramente, com frequência ou sempre. Para mensuração da intensidade da dor, utilizou-se a escala visual analógica. Os grupos foram comparados pelo teste de Mann-Whitney (p<0,05).Resultados:As mulheres do GD relataram maior frequência de dores na região submandibular (p=0,008), região da laringe/faringe (p<0,001), parte anterior (p=0,015) e posterior (p=0,001) do pescoço, ombros (p=0,027) e parte superior das costas (p=0,027) do que as do GND; relataram dor significativamente mais intensa na laringe/faringe (p=0,022) e região posterior do pescoço (p=0,003) quando comparadas ao GND.Conclusão:A frequência e intensidade de dor musculoesquelética foram maiores e mais frequentes nas mulheres disfônicas do que nas sem queixas, revelando que a dor pode estar relacionada às disfonias funcionais e organofuncionais em mulheres. (AU)

Processo FAPESP: 10/19470-9 - Aplicação da estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS) em mulheres com disfonia por tensão muscular
Beneficiário:Kelly Cristina Alves Silverio
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular