Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Diversidade de anfíbios do Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil

Texto completo
Autor(es):
Mostrar menos -
Franco L. Souza ; Cynthia P.A. Prado ; José L.M.M. Sugai ; Vanda L. Ferreira ; Camila Aoki ; Paulo Landgref-Filho ; Christine Strüssmann ; Robson W. Ávila ; Domingos J. Rodrigues ; Nelson R. Albuquerque ; Juliana Terra ; Masao Uetanabaro ; Arlindo F. Béda ; Liliana Piatti ; Ricardo A. Kawashita-Ribeiro ; Milena Delatorre ; Gabriel P. Faggioni ; Stephani D.B. Demczuk ; Samuel Duleba
Número total de Autores: 19
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: IHERINGIA SERIE ZOOLOGIA; v. 107, p. -, 2017.
Resumo

RESUMO A fauna de anfíbios do estado de Mato Grosso do Sul foi compilada e elaborada pela primeira vez, totalizando 97 espécies, o que representa pouco mais de 10% das espécies que ocorrem no Brasil. Nove famílias e 25 gêneros de Anura e apenas uma espécie de Gymnophiona foram registradas. As áreas de Cerrado apresentaram a maior riqueza, seguidas pelas florestas estacionais semideciduais, Chaco e veredas. Em relação às macrorregiões consideradas, foram registradas 56 espécies para a planície de inundação (majoritariamente representada pelo Pantanal) e 92 para o planalto. As regiões mais amostradas em Mato Grosso do Sul são o Parque Nacional da Serra da Bodoquena e algumas áreas do Pantanal, o que resulta em lacunas de amostragens por todo o estado, principalmente nas regiões norte, leste/sudeste e parte do oeste/sudoeste. Foram identificadas áreas consideradas importantes para amostragens em decorrência da complexidade de fitofisionomias e relevos encontrados no estado: Maciço do rio Apa, Serra de Maracaju, grande parte do Chaco brasileiro, leque do rio Taquari, planalto do Taquari-Itiquira, escarpas do planalto Central, áreas úmidas/florestas estacionais da planície do rio Paraná e áreas interioranas do Pantanal, onde o acesso é difícil. (AU)

Processo FAPESP: 09/12013-4 - Ecologia reprodutiva de anfíbios anuros: uma abordagem evolutiva
Beneficiário:Cynthia Peralta de Almeida Prado
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores