Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

A categoria como intervalo – a diferença entre essência e desconstrução

Texto completo
Autor(es):
Gabriel de Santis Feltran
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Cad. Pagu; n. 51, p. -, 2017.
Resumo

Resumo Este artigo analisa microcenas de interação e argumenta que o cotidiano é decisivo para a objetivação das categorias da diferença. Categorias são aqui compreendidas como intervalo de sentidos – conteúdos sempre situados e construídos mutuamente – no interior de fronteiras ideais de valoração, estabelecidas pelo uso rotineiro. A reflexão etnográfica sobre as situações empíricas dá ensejo a uma interpretação mais ampla sobre como a reação autoritária recente no Brasil tem em sua base a construção mútua de ideais categoriais de gênero e estado, mas também de raça, religião, família, classe, sexualidade e crime, portanto um projeto de nação. Não se pode esperar deste texto, evidentemente, que cada uma dessas categorias seja discutida com rigor; a proposta formal é que se pense a política de sua produção simultânea no curso da vida social contemporânea, ou seja, sobre como a estética de sua emergência situada nos cotidianos remete à construção da cena política mais ampla. Este texto é resultado parcial de investigação mais ampla sobre os cotidianos de grupos fortemente marginalizados em São Paulo. (AU)

Processo FAPESP: 13/07616-7 - CEM - Centro de Estudos da Metrópole
Beneficiário:Marta Teresa da Silva Arretche
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão - CEPIDs