Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Botulinum toxin for hereditary spastic paraplegia: effects on motor and non-motor manifestations

Título (Português): Toxina botulínica nas paraplegias espásticas hereditárias: efeitos nas manifestações motoras e não-motoras
Texto completo
Autor(es):
Mostrar menos -
Katiane R. Servelhere ; Ingrid Faber ; Alberto Martinez ; Renato Nickel ; Adriana Moro ; Francisco M. B. Germiniani ; Mariana Moscovich ; Tatiane R. Blume ; Renato P. Munhoz ; Hélio A. G. Teive ; Marcondes C. França Jr
Número total de Autores: 11
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Arquivos de Neuro-Psiquiatria; v. 76, n. 3, p. -, Mar. 2018.
Resumo

ABSTRACT Motor and non-motor manifestations are common and disabling features of hereditary spastic paraplegia (HSP). Botulinum toxin type A (Btx-A) is considered effective for spasticity and may improve gait in these patients. Little is known about the effects of Btx-A on non-motor symptoms in HSP patients. Objective To assess the efficacy of Btx-A on motor and non-motor manifestations in HSP patients. Methods Thirty-three adult patients with a clinical and molecular diagnosis of HSP were evaluated before and after Btx-A injections. Results Mean age was 41.7 ± 13.6 years and there were 18 women. Most patients had a pure phenotype and SPG4 was the most frequent genotype. The Btx-A injections resulted in a decrease in spasticity at the adductor muscles, and no other motor measure was significantly modified. In contrast, fatigue scores were significantly reduced after Btx-A injections. Conclusion Btx-A injections resulted in no significant functional motor improvement for HSP, but fatigue improved after treatment. (AU)

Resumo

RESUMO Manifestações motoras e não motoras são comuns e incapacitantes nas paraparesias espásticas hereditárias (PEH). Toxina botulínica do tipo A (TB-A) é considerada eficaz no tratamento da espasticidade e pode melhorar a marcha nesses pacientes. Pouco se sabe sobre os efeitos da TB-A sobre sintomas não-motores. Objetivo avaliar a eficácia da TB-A sobre manifestações motoras e não-motoras nas PEH. Método trinta e três pacientes adultos com PEH foram avaliados antes e depois das aplicações de TB-A. Resultados A média de idade foi 41,7 ± 13,6 anos e havia 18 mulheres. A maioria dos pacientes portava a forma pura e o genótipo mais comum foi SPG4. Houve diminuição da espasticidade dos músculos adutores da coxa sem melhora da marcha. A pontuação da fadiga reduziu após as injeções. Conclusão As aplicações de TB-A não melhoraram a marcha nos pacientes mas a redução da fadiga foi significativa após o tratamento. (AU)

Processo FAPESP: 13/01766-7 - Contribuição ao diagnóstico, à fisiopatologia e à terapêutica das neuronopatias sensitivas
Beneficiário:Marcondes Cavalcante Franca Junior
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores