Busca avançada
Ano de início
Entree


Semelhanças que atraem

Texto completo
Autor(es):
Juliana Carneiro da Silva
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Campinas, SP. 171 f.
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Amneris Angela Maroni; Igor Jose de Reno Machado; Taniele Cristina Rui
Orientador: Amneris Angela Maroni
Resumo

O presente trabalho dedica-se a explorar as relações entre jovens brasileiros descendentes de japoneses a partir de três cidades do estado de São Paulo, onde percorri associações nipo-brasileiras, festivais e festas japonesas, baladas orientais, um colégio dito oriental e entrevistei quinze jovens (em sua maioria nipodescendentes). Tendo por centro referencial as experiências desses sujeitos, esta dissertação aborda particularmente os meandros do que a bibliografia tem denominado "solidariedade étnica", apontando para as diferentes facetas nas quais ela se põe fora de espaços étnicos e também as ocasiões em que não o faz ¿ não "chama", como sugiro a partir do psicanalista Christopher Bollas. Para tanto, aproprio-me da teoria da cultura proposta por Edward Sapir e da noção de japonesidade, tal como apresentada na coletânea organizada pelo professor doutor Igor José de Renó Machado, na Universidade Federal de São Carlos. A partir desta noção, mostro como no contexto de minha pesquisa relacionam-se, muitas vezes de forma tensa, ao menos dois tipos de sentido para "japonês" (termo nativo brasileiro usado, a princípio, para referir-se a nipodescendentes). Mostro igualmente como a ambivalência presente no termo "japonês" reverbera nas dinâmicas relacionais que estudo, contribuindo para a sua multiplicidade (AU)

Processo FAPESP: 12/24299-2 - (Re) configurações de amizade por jovens descendentes de japoneses frente à participação em associações nipo-brasileiras.
Beneficiário:Juliana Carneiro da Silva
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado