Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do Web of Science, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Representações sobre a adesão ao tratamento da Tuberculose Multidroga Resistente

Texto completo
Autor(es):
Ferreira, Kuiteria Ribeiro [1] ; Orlandi, Giovanna Mariah [2] ; da Silva, Talina Carla [2] ; Bertolozzi, Maria Rita [2] ; de Siqueira Franca, Francisco Oscar [3] ; Bender, Amy [4]
Número total de Autores: 6
Afiliação do(s) autor(es):
[1] Univ Paulista, Sao Paulo, SP - Brazil
[2] Univ Sao Paulo, Dept Enfermagem Saude Colet, Escola Enfermagem, Sao Paulo, SP - Brazil
[3] Univ Sao Paulo, Fac Med, Dept Molestias Infecciosas & Parasitarias, Sao Paulo, SP - Brazil
[4] Univ Toronto, Fac Nursing, Toronto, ON - Canada
Número total de Afiliações: 4
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Revista da Escola de Enfermagem da USP; v. 52, 2018.
Citações Web of Science: 0
Resumo

RESUMO Objetivo: Identificar representações a respeito da adesão ao tratamento da tuberculose multidroga resistente na perspectiva de pacientes que obtiveram alta por cura. Método: Estudo qualitativo com pacientes que completaram o tratamento medicamentoso da tuberculose multidroga resistente em São Paulo. Utilizou-se da Determinação Social para interpretar o processo saúde-doença, e os depoimentos foram analisados segundo a hermenêutica-dialética e a técnica de análise de discurso. Resultados: Entrevistaram-se 21 pacientes. A maioria (80,9%) era homens, na faixa etária produtiva (90,4%) e afastada do trabalho ou desempregada (57,2%) durante o tratamento. Dos depoimentos, emergiram três categorias associadas à adesão ao tratamento: o desejo de viver, o suporte para o desenvolvimento do tratamento e a assistência nos serviços de saúde. Conclusão: Para a amostra do estudo, a adesão ao tratamento da tuberculose multidroga resistente esteve relacionada a ter um projeto de vida e ao apoio familiar e dos profissionais de saúde. A gratuidade do tratamento é fundamental para a adesão, dadas as fragilidades decorrentes da inserção social das pessoas acometidas pela doença. Requer-se, portanto, particular atenção dos serviços de saúde para compreender as necessidades dos doentes. (AU)

Processo FAPESP: 10/18892-7 - A adesão ao tratamento no caso da tuberculose multirresistente
Beneficiário:Kuitéria Ribeiro Ferreira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado