Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Zumbido em indivíduos sem perda auditiva e sua relação com a disfunção temporomandibular

Texto completo
Autor(es):
Aline Albuquerque Morais ; Daniela Gil
Número total de Autores: 2
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Brazilian Journal of Otorhinolaryngology; v. 78, n. 2, p. -, Abr. 2012.
Resumo

Pesquisas apontam que disfunções da articulação temporomandibular estão freqüentemente associadas ao zumbido. OBJETIVO: caracterizar o zumbido de indivíduos com audição normal e buscar possível relação com a Disfunção Temporomandibular (DTM). Forma do estudo: prospectivo tranversal. MATERIAL E MÉTODO: participaram 20 adultos de ambos os sexos com queixa de zumbido e limiares auditivos dentro da normalidade à audiometria convencional. Foi realizada a pesquisa das características psicoacústicas do zumbido, aplicação do checklist de sinais e sintomas de DTM e aplicação do Tinnitus Handicap Inventory (THI). RESULTADOS: o zumbido de pitch agudo, contínuo e bilateral foi o mais freqüente. À acufenometria, o pitch médio do zumbido referido pelos indivíduos foi de 8,6 kHz e a loudness média foi de 14,1 dBNS. O grau do incômodo causado pelo zumbido foi leve. Observou-se que quanto mais agudo o pitch, menor foi a loudness e maior a pontuação no THI. Verificou-se que 90% dos indivíduos apresentaram pelo menos um sinal ou sintoma de DTM. CONCLUSÕES: o tipo de zumbido mais frequente é o de pitch agudo, contínuo e bilateral, 90% dos indivíduos apresentaram pelo menos um sinal ou sintoma de DTM e não há correlação do zumbido com a acufenometria, THI e checklist para DTM. (AU)

Processo FAPESP: 09/52888-0 - Zumbido em pacientes sem perda auditiva e sua relacao com a disfuncao temporomandibular.
Beneficiário:Aline Albuquerque Morais
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Iniciação Científica