Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Vegetation mapping in an area of Ombrophilous Dense Forest at Parque Estadual da Serra do Mar, São Paulo State, Brazil, and floristic composition of the tree component of some physiognomies*

Título (Português): Mapeamento da vegetação em área de Floresta Ombrófila Densa no Parque Estadual da Serra do Mar, SP, Brasil, e composição florística do componente arbóreo de algumas fisionomias
Texto completo
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Hoehnea; v. 39, n. 2, p. -, Jun. 2012.
Resumo

This study aimed to map phytophysiognomies of an area of Ombrophilous Dense Forest at Parque Estadual da Serra do Mar and characterize their floristic composition. Photointerpretation of aerial photographs in scale of 1:35,000 was realized in association with field work. Thirteen physiognomies were mapped and they were classified as Montane Ombrophilous Dense Forest, Alluvial Ombrophilous Dense Forest or Secondary System. Three physiognomies identified at Casa de Pedra streamlet's basin were studied with more details. Riparian forest (RF), valley forest (VF), and hill forest (HF) presented some floristic distinction, as confirmed by Detrended Correspondence Analysis (DCA) and Indicator Species Analysis (ISA) conducted here. Anthropic or natural disturbances and heterogeneity of environmental conditions may be the causes of physiognomic variation in the vegetation of the region. The results presented here may be useful to decisions related to management and conservation of Núcleo Santa Virgínia forests, in general. (AU)

Resumo (Português)

Este trabalho teve como objetivos mapear fitofisionomias de uma área de Floresta Ombrófila Densa no Parque Estadual da Serra do Mar e caracterizar sua composição florística. Realizou-se interpretação de fotografias aéreas, em escala de 1:35.000, associada a estudos de campo. Foram mapeadas 13 fitofisionomias, classificadas como Floresta Ombrófila Densa Montana, Floresta Ombrófila Densa Aluvial ou Sistema Secundário. Três fisionomias identificadas na microbacia do Córrego Casa de Pedra foram estudadas com mais detalhes. Floresta ripária (RF), Floresta de fundo de vale (VF) e Floresta de encosta (HF) apresentaram distinções florísticas, como confirmado pela Análise de Correspondência Distendida (DCA) e pela Análise de Espécies Indicadoras (ISA), aqui realizadas. Distúrbios antrópicos ou naturais e heterogeneidade ambiental podem ser as causas das variações fisionômicas na vegetação da região. Os resultados apresentados, de modo geral, podem ser úteis na tomada de decisões relacionadas ao manejo e à conservação das florestas do Núcleo Santa Virgínia. (AU)

Processo FAPESP: 07/57465-4 - O balanço de carbono sobre uma floresta de Mata Atlântica com medidas micrometereólogicas e biométricas
Beneficiário:Humberto Ribeiro da Rocha
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo FAPESP: 03/12595-7 - Composição florística, estrutura e funcionamento da Floresta Ombrófila Densa dos Núcleos Picinguaba e Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar, estado de São Paulo, Brasil
Beneficiário:Carlos Alfredo Joly
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Temático