Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Yam: a neglected and underutilized crop in Brazil

Título (Português): Inhame: uma cultura negligenciada e subutilizada no Brasil
Texto completo
Autor(es):
MVBM Siqueira
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Horticultura Brasileira; v. 29, n. 1, p. -, Mar. 2011.
Resumo

In Brazil current studies and investments on yams are incipient. Similarly, the literature in recent decades lacks adequate information on this group of plants. The existing literature, on its turn, requires more than ever to be revised and organized. Yams have joined the so-called "neglected" group of crops for several reasons, but particularly because they are associated with poor and traditional communities. Many vegetables introduced in Brazil during the colonization period have adapted to different cropping systems, yams being an excellent example. This diversity resulted very widespread, yet poorly recognized in the country. In turn, the gardens using traditional farming systems continue to maintain and enhance yam local varieties. Studies from other countries, with an emphasis on characterization and genetic breeding, brought to light an urgent need for Brazil to invest in yams as a food rich in carbohydrates, even to the point of alterations in food public policy. Reversal of the yam's current stigma is both a challenge to the scientific community and to the population as a whole. This paper aims to raise pertinent questions about Dioscorea species, an important key group for many communities in tropical countries, yet still unrecognized as so in Brazil. (AU)

Resumo

No Brasil, estudos e investimentos ao inhame são incipientes. Similarmente, a literatura nas últimas décadas apresenta informações insuficientes para este grupo de plantas. A literatura existente, por sua vez, exige mais que nunca ser revisada e organizada. O inhame tem-se unido ao grupo de culturas ditas "negligenciadas" por diversas razões, mas particularmente devido ao fato de estar associado às comunidades pobres e tradicionais. Muitos vegetais introduzidos no Brasil durante o período da colonização têm-se adaptado a diferentes sistemas de cultivo, sendo o inhame um excelente exemplo. Esta diversidade é resultado de uma ampla dispersão, ainda pouco conhecida no país. Por sua vez, as roças usam o sistema de agricultura tradicional de forma a manter e aumentar as variedades locais de inhame. Estudos de outros países, com ênfase na caracterização e melhoramento genético, trouxeram à luz uma necessidade urgente de o Brasil investir em inhame como uma rica fonte de carboidratos, mesmo apesar das mudanças na política alimentar pública. Reverter o atual estigma do inhame é um duplo desafio para a comunidade científica e população como um todo. Este artigo objetiva-se a trazer questões pertinentes sobre as espécies do gênero Dioscorea, um importante grupo para muitas comunidades em países tropicais, contudo ainda pouco conhecido no Brasil. (AU)

Processo FAPESP: 07/07222-8 - Caracterização da diversidade genética de inhame (Dioscorea alata) utilizando marcadores microssatélites
Beneficiário:Marcos Vinícius Bohrer Monteiro Siqueira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado