Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

The expression of the aminoacid transporters ASCT2 (SLC1A5) and LAT1 (SLC7A5) in astrocytomas

Título (Português): EXPRESSÃO DOS TRANSPORTADORES DE AMINOÁCIDOS ASCT2 (SLC1A5) E LAT1 (SLC7A5) EM ASTROCITOMAS
Texto completo
Autor(es):
Maria José Ferreira Alves ; Miyuki Uno ; Roseli da Silva ; Sueli Mieko Oba-Shinjo ; Suely Kazue Nagahashi Marie
Número total de Autores: 5
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: MedicalExpress (São Paulo, online); v. 3, n. 6, p. -, Dez. 2016.
Resumo

OBJECTIVE: ASCT2 and LAT1 are aminoacid transporters involved in glutamine transport and play a role in tumor growth. Previous studies have shown an association of ASCT2 to cell proliferation through the mechanistic Target of Rapamycin (mTOR) translational machinery; LAT1 has been shown as a prognostic marker due to its relation to tumor invasion, microscopic vascular invasion and metastasis. This study analyzed the gene expression of ASCT2 and LAT1 in astrocytomas of different grades and how this correlates to clinical outcome in glioblastoma patients. METHOD: This is an observational study with ASCT2 and LAT1 mRNA expression analysis in 153 samples of human astrocytomas, distributed in different World Health Organization (WHO) grades of malignancy (23 at grade I or pilocytic astrocytoma, 26 at grade II or low-grade astrocytoma, 18 at grade III or anaplastic astrocytoma, 86 at grade IV astrocytoma or glioblastoma (AGIV or GBM)); these were compared to 22 non-neoplastic brain samples. RESULTS: Significant hyperexpression of both genes was observed particularly in malignant astrocytomas (GIII & GBM). Moreover, LAT1 hyperexpression impacted negatively in the overall survival in a subset of GBM patients. CONCLUSION: LAT1 is more expressed in higher grade astrocytomas. It leads to a poorer prognosis among GBM patients and may be a potential therapeutical target. (AU)

Resumo

OBJETIVO: ASCT2 e LAT1 são transportadores de aminoácidos envolvidos no transporte de glutamina e desempenham um papel no crescimento tumoral. Estudos prévios mostraram uma associação de ASCT2 com proliferação celular através da maquinaria de tradução do mTOR; tem sido mostrado que o LAT1 é um marcador prognóstico devido à sua relação com invasão tumoral, invasão vascular microscópica e metástase. Este estudo analisou a expressão gênica de ASCT2 e LAT1 em astrocitomas de diferentes graus e sua correlação com desfecho clínico em pacientes com glioblastoma. METODO: Este é um estudo observacional com análise de expressão de RNAm de ASCT2 e LAT1 em 153 amostras de astrocitomas humanos, distribuídas em diferentes graus de malignidade segundo a OMS (23 astrocitomas de grau I ou astrocitoma pilocítico, 26 de astrocitoma de grau II ou astrocitoma de baixo grau, 18 de astrocitoma de grau III ou astrocitoma anaplásico, 86 de astrocitoma de grau IV ou glioblastoma (AGIV ou GBM); estes foram comparados com 22 amostras cerebrais não neoplásicas. RESULTADOS: Foi observada uma hiperexpressão de ambos os genes, particularmente nos astrocitomas malignos (GIII & GBM). Além disso, a hiperexpressão LAT1 impactou negativamente na sobrevida global em um grupo de pacientes com GBM. CONCLUSÃO: LAT1 é mais expresso em astrocitomas de grau maior. Isso leva a um pior prognóstico entre os pacientes com GBM e pode ser um potencial alvo terapêutico. (AU)