Busca avançada
Ano de início
Entree
Conteúdo relacionado
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

ANTARCTICA AND ABNJ IN THE ANTHROPOCENE: CHALLENGES TO THE SUSTAINABLE MANAGEMENT OF MARINE GENETIC RESOURCES?

Título (Português): ANTÁRTICA E ÁREAS ALÉM DA JURISDIÇÃO NACIONAL NO ANTROPOCENO: DESAFIOS PARA A GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS MARINHOS GENÉTICOS?
Texto completo
Autor(es):
ANA FLÁVIA BARROS-PLATIAU ; LEANDRA REGINA GONÇALVES
Número total de Autores: 2
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Ambiente & Sociedade; v. 22, p. -, 2019.
Resumo

Abstract The Anthropocene epoch brings new technology-related challenges for the sustainable management of biodiversity, including the access to marine genetic resources. Although separated in two multilateral agendas, Antarctica and the area beyond national jurisdiction are comparable cases, since the regulation of bioprospecting activities has been under negotiation for decades, inside and outside the UN. From an interdisciplinary approach in international relations, legal and environmental science literature, three challenges are discussed: the socio-ecological complex system, the institutional responses and the UN 2030 Agenda (sustainable development goals). The main finding is that the UN 2030 Agenda needs to include companies (global players) in order to improve the effectiveness of the future regulations. (AU)

Resumo

Resumo A época do Antropoceno traz novos desafios relacionados à tecnologia para o manejo sustentável da biodiversidade, incluindo o acesso a recursos genéticos marinhos. Embora separados em duas agendas multilaterais, a Antártica e as áreas fora da jurisdição nacional são casos comparáveis, uma vez que a regulação das atividades de bioprospecção está em negociação há décadas, dentro e fora da ONU. A partir de uma abordagem interdisciplinar nas relações internacionais, literatura de ciências jurídicas e ambientais, três desafios são discutidos: o sistema complexo socioecológico, as respostas institucionais e a Agenda 2030 da ONU (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável). A principal conclusão é que a Agenda 2030 precisa envolver o setor privado nas negociações para aprimorar a eficácia das regulamentações futuras. (AU)

Processo FAPESP: 18/00462-8 - Oportunidades e fragilidades da gestão costeira integrada no litoral paulista no contexto da governança da macrometrópole
Beneficiário:Leandra Regina Gonçalves Torres
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado