Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Desafios para promoção da abordagem ecossistêmica à gestão de praias na América Latina e Caribe

Texto completo
Autor(es):
Mostrar menos -
Marina Ribeiro Corrêa [1] ; Luciana Yokoyama Xavier [2] ; Leandra R. Gonçalves [3] ; Mariana Martins de Andrade [4] ; Mayara de Oliveira [5] ; Nicole Malinconico [6] ; Camilo M. Botero [7] ; Celene Milanés [8] ; Ofelia Pérez Montero [9] ; Omar Defeo [10] ; Alexander Turra [11]
Número total de Autores: 11
Afiliação do(s) autor(es):
Mostrar menos -
[1] Universidade de São Paulo. Instituto de Energia e Ambiente - Brasil
[2] Universidade de São Paulo. Instituto de Oceanografia - Brasil
[3] Universidade de São Paulo. Instituto de Oceanografia - Brasil
[4] University of Queensland - Austrália
[5] Universidade de São Paulo. Instituto de Oceanografia - Brasil
[6] Universidade de São Paulo. Instituto de Oceanografia - Brasil
[7] Universidad Sergio Arboleda - Colômbia
[8] Universidad de la Costa - Colômbia
[9] Universidad de Oriente - Cuba
[10] Universidad de la República. Unidad de Ciencias del Mar - Uruguai
[11] Universidade de São Paulo. Instituto de Oceanografia - Brasil
Número total de Afiliações: 11
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Estudos avançados; v. 35, n. 103, p. 219-236, 2021-11-01.
Resumo

RESUMO A complexidade das mudanças globais e seus efeitos nos sistemas socioecológicos motivam o desenvolvimento de abordagens de gestão mais integradas e inovadoras para equilibrar as relações sociedade-natureza. Com o desafio de suprir demandas globais e considerar impactos locais, a Gestão Baseada em Ecossistemas (GBE) aparece como uma estratégia de avaliação e ação com potencial de qualificar as interações socioecológicas. Nesse sentido, as praias arenosas surgem como um importante e complexo sistema socioecológico cuja gestão é historicamente realizada de forma reducionista, imediatista, fragmentada e tecnocrática, o que são desafios para a implementação da GBE. Dessa forma, esse artigo visou discutir as oportunidades de incorporar a GBE na gestão de praias e os desafios para sua implementação na América Latina e Caribe. Assim, observa-se que a GBE pode orientar a adequação dos processos da gestão de praias. Apesar dos desafios enfrentados na AL&C sua implementação é uma ferramenta a ser fortalecida na região por meio da transdisciplinaridade e cooperação internacional para promover a sustentabilidade das praias. (AU)

Processo FAPESP: 18/13238-9 - Serviços ecossistêmicos e suas vulnerabilidades às mudanças climáticas: desafios para a gestão ecossistêmica de praias
Beneficiário:Marina Ribeiro Corrêa
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo FAPESP: 19/13898-1 - A gestão municipal de praias promove capacidade adaptativa para assegurar a sustentabilidade dos serviços ecossistêmicos frente as mudanças climáticas?
Beneficiário:Marina Ribeiro Corrêa
Linha de fomento: Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Processo FAPESP: 19/13851-5 - Re-escalonando o SSE framework para praias
Beneficiário:Luciana Yokoyama Xavier
Linha de fomento: Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo FAPESP: 19/04481-0 - Como governar a zona costeira na região macro-metropolitana: desafios para gestão costeira integrada no litoral de São Paulo
Beneficiário:Leandra Regina Gonçalves Torres
Linha de fomento: Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo FAPESP: 17/21797-5 - Rumos da gestão de praias no Brasil: em busca da resiliência sócio-ecológica
Beneficiário:Luciana Yokoyama Xavier
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo FAPESP: 18/00462-8 - Oportunidades e fragilidades da gestão costeira integrada no litoral paulista no contexto da governança da macrometrópole
Beneficiário:Leandra Regina Gonçalves Torres
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado