Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação dos anticorpos anti-LDL oxidada no desenvolvimento da lipodistrofia/dislipidemia e aterosclerose em indivíduos portadores do HIV durante a terapia anti-retroviral

Autor(es):
Ronchini, Karla Regina Oliveira de Moura
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo. [2005]. 176 f.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Gidlund, Magnus Ake; Segurado, Aluísio Augusto Cotrim; Caramelli, Bruno; Abdalla, Dulcinéia Saes Parra; Cunha Neto, Edecio
Orientador: Gidlund, Magnus Ake
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Imunologia
Indexada em: Banco de Dados Bibliográficos da USP-DEDALUS
Localização: Universidade de São Paulo. Biblioteca do Instituto de Ciências Biomédicas; ICB/T-ICB BMI QW504; R769a 2005
Resumo

A introdução da terapia antiretroviral melhorou significantemente a expectativa de vida em pacientes HIV positivos. Entretanto, efeitos colaterais severos estão emergindo, incluindo aterosclerose e lipodistrofia. Como estes processos envolvem alteração do metabolismo lipídico na sua patogenia, nesta tese avaliamos o desenvolvimento da lipodistrofia/dislipidemia, parâmetros da aterosclerose e os níveis de anti-oxLDL e anti-apoB peptídeo D durante o acompanhamento dos pacientes sob terapia anti-retroviral. A resposta humoral contra oxLDL e um peptídeo sintético (apoB-D) derivado da parte interna da proteína apoB que envolve a partícula de LDL foi avaliado por ELISA. Oitenta e sete pacientes foram distribuídos em grupos: grupo sem terapia anti-retroviral (n=20), grupo com terapia anti-retroviral (n=51) e grupo lipodistrofia. Eles foram acompanhados por 12 meses. Os principais achados são os seguintes. A introdução da terapia anti-retroviral induz desenvolvimento rápido da lipodistrofia e alteração lipídica com incidência em torno de 3% e 4% por mês, respectivamente. Um fato observado foi que avaliação clínica meticulosa para diagnosticar a lipodistrofia foi mais acurada que a avaliação pelo DEXA. No grupo com tratamento a espessura da artéria carótida avaliada por Doppler estava próxima do limite superior (média = 0,89 mm) da normalidade de 1,0 mm e no grupo lipodistrofia estava acima (média = 1,05 mm). Anticorpos contra oxLDL e apoB-D demonstraram uma redução gradual, sugerindo que o tratamento aumenta os níveis de oxLDL circulante. Após 12 meses de tratamento, os níveis foram comparáveis aos pacientes do grupo lipodistrofia. Encontramos uma forte correlação entre o grau de lipodistrofia e o aumento nos níveis dos anticorpos contra apoB-D. O peptídeo apoB-D mostrou um alto valor preditivo. Neste estudo também mostramos que o peptídeo apoB-D mostrou um alto valor preditivo, especialmente no grupo lipodistrofia. O mais importante é que neste estudo foi possível validar uma metodologia nova e inédita para medir anticorpos contra LDL modificada oxidativamente utilizando peptídeo apoB-D.(AU)