Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

O que dizem/sentem alunos participantes de uma experiência de inclusão escolar com aluno surdo

Texto completo
Autor(es):
Cristina Broglia Feitosa de Lacerda
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Rev. bras. educ. espec.; v. 13, n. 2, p. 257-280, Ago. 2007.
Resumo

A educação de surdos tem sido historicamente marcada por fracassos e, mais recentemente, a educação inclusiva tem se apresentado como adequada para a inserção de alunos surdos na escola. Para atender suas necessidades se criam alternativas como a presença da língua de sinais e de intérpretes. Foram realizadas entrevistas com dois alunos ouvintes e um aluno surdo integrantes de uma 5ª série do ensino fundamental, na qual foram inseridos um aluno surdo e sua intérprete. Os alunos referem à experiência vivenciada como positiva, prazer em terem um colega diferente e conhecer a língua de sinais. Porém, os ouvintes relatam dominar precariamente esta língua, gostariam que ela fosse mais fácil e referem saber pouco sobre a surdez. Tais fatos não são percebidos pelo aluno surdo, que vê como adequada sua relação com ouvintes. Há respeito pelas diferenças, mas as relações são superficiais, diversas das vivenciadas por alunos em geral. Conhecer o modo como os alunos significam esta experiência é fundamental para avaliar os efeitos dessa prática. (AU)

Processo FAPESP: 01/10256-5 - A escola incusica para surdos: refletindo sobre o intérprete de língua de sinais em sala de aula
Beneficiário:Cristina Broglia Feitosa de Lacerda
Linha de fomento: Bolsas no Exterior - Pesquisa