Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Estereotipia e plasticidade na seqüência predatória de Theridion evexum Keyserling 1884 (Araneae: Theridiidae)

Texto completo
Autor(es):
Garcia, Carolina Ribeiro Martins [1] ; Japyassu, Hilton Ferreira [2]
Número total de Autores: 2
Afiliação do(s) autor(es):
[1] São Paulo (Estado). Secretaria de Estado da Saúde. Instituto Butantan - Brasil
[2] São Paulo (Estado). Secretaria de Estado da Saúde. Instituto Butantan - Brasil
Número total de Afiliações: 2
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Biota Neotropica; v. 5, n. 1A, p. 27-43, 2005.
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Zoologia
Notas: O artigo da revista consta como produto de três Processos: 99/04442-9 em nome de Hilton Ferreira Japyassu, 99/05446-8 em nome de Antonio Domingos Brescovit e 02/08900-6 em nome de Carolina Ribeiro Martins Garcia
Assunto(s):Comportamento animal   Araneae   Theridion evexum
Resumo

Para as aranhas de teia, o forrageamento inicia-se com a seleção de um local conveniente à construção da teia, sendo a seqüência predatória iniciada no momento em que a aranha entra em contato com ou recebe algum estímulo de uma presa. Aproximação, perseguição e captura da presa dão continuidade à seqüência predatória, a qual pode apresentar diferentes graus de estereotipia e plasticidade. O presente trabalho descreve a teia de Theridionevexum (Theridiidae), bem como sua seqüência predatória frente a formiga Atta sp. e a larva do besouro Tenebrio molitor. O grau de estereotipia presente no comportamento predatório de T. evexum é avaliado e comparado ao de outras três espécies de teridídeos. As seqüências predatórias dos indivíduos de T. evexum foram filmadas, transcritas ao computador e analisadas com o auxílio do programa EthoSeq, resultando em um etograma para cada presa em questão e em uma lista de rotinas comportamentais. A teia de T. evexum possui viscosidade em toda a sua extensão. A seleção de locais com alta umidade poderia ser adaptativa nesta espécie, pois a umidade conserva as propriedades dos fios viscosos por um maior período de tempo, reduzindo o gasto provocado pela reposição de tais fios. A captura de T. evexum frente a formiga requer um maior número de mordidas e de transportes parciais, o que sugere que a imobilização desta presa seja mais difícil que a de tenébrio. Comparando a freqüência das rotinas comportamentais obtidas para formigas e tenébrios, foi possível verificar que a seqüência predatória de T. evexum não apresenta diferenças de estereotipia em função das presas utilizadas. Isto provavelmente está relacionado a mudanças evolutivas na dieta e estrutura da teia dos teridídeos, as quais provocaram uma redução na diversidade de táticas de captura desta família. Com relação às outras espécies de teridídeos, T. evexum apresentou uma predação mais estereotipada, o que parece estar relacionado com a estrutura menos densa de sua teia. (AU)

Processo FAPESP: 99/05446-8 - Biodiversidade de Arachnida e Myriapoda do estado de São Paulo
Beneficiário:Antonio Domingos Brescovit
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Temático
Processo FAPESP: 02/08900-6 - Estereotipia e plasticidade no forrageamento de aranhas de teia: uma abordagem comparativa
Beneficiário:Carolina Ribeiro Martins Garcia
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo FAPESP: 99/04442-9 - Comportamento e evolução em aranhas: análise cladística da predação, construção da teia e corte nas famílias de Araneoidea (Araneae: Araneomorphae)
Beneficiário:Hilton Ferreira Japyassú
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular