Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Forrageamento em Achaearanea cinnabarina Levi 1963 (Araneae, Theridiidae) e evolução da caça em aranhas de teia irregular

Texto completo
Autor(es):
Japyassu, Hilton Ferreira [1] ; Jotta, Eduardo Gonçalves
Número total de Autores: 2
Afiliação do(s) autor(es):
[1] São Paulo (Estado). Secretaria de Estado da Saúde. Instituto Butantan - Brasil
Número total de Afiliações: 2
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Biota Neotropica; v. 5, n. 1A, p. 53-67, 2005.
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Zoologia
Assunto(s):Comportamento animal   Arachnida   Araneae   Achaearanea cinnabarina
Resumo

A monofilia da teia orbicular e sua evolução para teias irregulares, também monofiléticas, é um dos casos recentes que mostram a utilidade do comportamento em análises filogenéticas. A perda de regularidade da teia implica mudanças na recepção de sinais da presa, o que pode provocar alterações no repertório de caça. Investigamos esta hipótese comparando as estratégias de caça em Achaearanea cinnabarina Levi 1963 com a de outros teridídeos e também com orbitelas, discutindo assim a evolução do comportamento de caça no grupo. Filmamos 40 seqüências de captura de frente a dois tipos de presa; as seqüências foram transcritas com o auxílio do programa Observer Video-Pro e analisadas através do programa EthoSeq. As rotinas de caça em A. cinnabarina são extremamente plásticas, o que sugere serem caracteres com nível reduzido de informação taxonômica; por outro lado, um número expressivo de rotinas comportamentais independe do contexto, ocorrendo com ambos os tipos de presa, o que sugere serem úteis na análise cladística. A. cinnabarina se utiliza sempre da estratégia enrola-morde, uma estratégia que em orbitelas é utilizada principalmente frente a presas que oferecem risco à aranha. A adoção indiscriminada de uma estratégia para presas perigosas foi provavelmente selecionada pelo aumento na proporção deste tipo de presas (formigas), que por sua vez decorre de alterações evolutivas na estrutura da armadilha e na seleção de microhabitat. Assim, a transformação da teia orbicular em teia de lençol com sapatas adesivas, típica dos teridídeos, levou a uma simplificação do repertório de caça. (AU)

Processo FAPESP: 99/05446-8 - Biodiversidade de Arachnida e Myriapoda do estado de São Paulo
Beneficiário:Antonio Domingos Brescovit
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Temático
Processo FAPESP: 99/04442-9 - Comportamento e evolução em aranhas: análise cladística da predação, construção da teia e corte nas famílias de Araneoidea (Araneae: Araneomorphae)
Beneficiário:Hilton Ferreira Japyassú
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular