Busca avançada
Ano de início
Entree


Das colocações à vila : processos de urbanização no Alto Rio Tejo, Acre

Autor(es):
Roberto Sanches Rezende
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Neide Esterci; Emília Pietrafesa de Godói
Orientador: Mauro William Barbosa de Almeida
Resumo

Este é um estudo sobre as transformações ocorridas nos seringais da Reserva Extrativista do Alto Juruá, no Acre, ao longo das décadas de 1990 e 2000, tendo como foco empírico a comunidade Restauração, localizada no Rio Tejo. A criação da Reserva no início dos anos de 1990 coincide com o momento histórico em que a produção de borracha deixa de ser a principal atividade econômica dos moradores da região. Desde então, uma série de mudanças organizacionais ocorreram: as formas de ocupação do território e de sociabilidade se transformaram e levaram a um novo modo de viver na floresta. Desejos e planos de vida de moradores e políticas públicas específicas criaram, nesse contexto, a possibilidade de ocupação do território em uma vila, onde mais de cem famílias, que antes estavam espalhadas por diversas localidades, passaram a morar em um mesmo espaço. Esse novo modo de ocupação é muito distinto do padrão disperso de colocações, antes preponderante nos seringais, e levanta questões sobre como lidar com as antigas regras de propriedade e sobre a gestão da unidade de conservação e o manejo dos recursos naturais, já que o surgimento de uma vila significa também o surgimento de um padrão urbano de ocupação territorial que aumenta a pressão sobre esses recursos e modifica as relações sociais entre os moradores (AU)

Processo FAPESP: 07/57093-0 - Dinâmicas sociais e sociabilidade ná Amazônia: o caso da Reserva Extrativista do Alto Juruá, Acre
Beneficiário:Roberto Sanches Rezende
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado