Busca avançada
Ano de início
Entree


Análise da resistência de união e dos tecidos duros adjacentes a sistemas restauradores com liberação ou não de fluoreto após desafio cariogênico in vitro

Texto completo
Autor(es):
Ana Paula Almeida Ayres
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Campinas, SP.
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Odontologia de Piracicaba
Data de defesa:
Membros da banca:
Marcelo Giannini; Patrícia Moreira Freitas; Flavio Henrique Baggio Aguiar
Orientador: Marcelo Giannini
Resumo

O objetivo desse estudo foi avaliar a resistência de união à dentina de sistemas restauradores contendo ou não fluoretos em sua composição e o comportamento do esmalte e da dentina adjacentes às restaurações, quando submetidos ao desafio cariogênico in vitro. Adicionalmente, durante o desafio cariogênio foi mensurada a liberação de fluoreto dos adesivos. Para o estudo foram utilizados 64 dentes terceiros molares humanos e quatro sistemas restauradores: FL-Bond II/Beautifil II, Bond Force/Estelite Sigma, GC Fuji II LC e Adper Easy Bond/Filtek Z350 XT. No estudo de resistência da união à dentina, utilizou-se a dentina coronária, onde foram aplicados os materiais restauradores (n=8). Os dentes foram seccionados para obtenção dos espécimes e o teste de microtração foi realizado em dois tempos: imediato e após um ano de armazenamento em saliva artificial. Para o estudo da microdureza longitudinal, foram confeccionadas cavidades na região cervical, as quais foram restauradas com os quatro sistemas propostos, de acordo com as recomendações dos fabricantes (n=8). Os dentes restaurados foram submetidos à ciclagem térmica (3.000 ciclos) e, posteriormente, à ciclagem de pH durante oito dias. A mensuração da microdureza subsuperficial foi realizada em esmalte e em dentina, em três distâncias da parede cavitária e em seis profundidades em relação à superfície submetida à ciclagem de pH. As soluções desmineralizantes e remineralizantes utilizadas nessa ciclagem foram utilizadas para análise de concentração catiônica de flúor. A análise estatística de resistência de união dentinária mostrou que os valores médios não foram afetados após um ano de armazenamento em saliva artificial para nenhum dos sistemas restauradores. Os resultados de microdureza longitudinal em esmalte apresentaram diferença estatística significativa apenas para a distância 50 ?m. Mas os valores médios de microdureza Knoop em esmalte foram semelhantes para os quatro sistemas restauradores quando avaliados nas mesmas distâncias e profundidades. O mesmo padrão de resultado foi encontrado na dentina, mas os valores médios de microdureza não apresentaram diferença estatística entre as distâncias da restauração. A análise catiônica de flúor detectou liberação de fluoreto nos espécimes restaurados com GC Fuji LC II e FL-Bond II/Beautifil II. A partir dos resultados desse estudo in vitro é possível afirmar que os sistemas restauradores avaliados apresentaram estabilidade da união por um ano, porém apresentaram pouca capacidade de inibição de cárie secundária em esmalte e em dentina, independentemente da liberação ou não de fluoretos (AU)

Processo FAPESP: 10/13601-4 - Análise da união dentina-resina e do tecido dentinário adjacente às restaurações com sistemas adesivos contendo fluoreto após desafio cariogênico in vitro.
Beneficiário:Ana Paula Almeida Ayres
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado