Busca avançada
Ano de início
Entree


As vogais desvozeadas no Português Brasileiro : investigação acústico-articulatória = Devoiced vowels in Brazilian portuguese : an acoustic-articulatory investigation

Autor(es):
Francisco de Oliveira Meneses
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Estudos da Linguagem
Data de defesa:
Membros da banca:
Vera Pacheco; Wilmar Rocha D'Angelis
Orientador: Eleonora Cavalcante Albano
Resumo

Este trabalho examina o processo de produção de vogais desvozeadas no português brasileiro (doravante PB). O objetivo é, a partir de uma visão de cunho dinâmico, mostrar que há, no sinal das chamadas sílabas desvozeadas, rastros da vogal que impossibilitam uma hipótese de síncope vocálica. Além disso, busca-se uma síntese teórica das pistas acústicas encontradas a fim de relacioná-las à articulação das vogais desvozeadas. Para tanto, uma análise acústico-articulatória foi realizada a partir da gravação da leitura de frases-veículos. As leituras das frases foram realizadas por seis sujeitos do sexo feminino, naturais de Vitória da Conquista - BA, sem queixas de fala ou audição. As gravações foram realizadas em uma cabine acústica, por meio de gravador digital. A análise instrumental foi realizada por meio do software PRAAT. Foram obtidas as medidas de duração da sílaba e do ruído fricativo, as medidas do centroide do ruído e os valores da Razão de centralização formântica (doravante FCR) e a Área de espaço vocálico (doravante VSA) das vogais em contexto de desvozeamento. Os resultados encontrados mostram que há um gradiente de desvozeamento manifestado de três maneiras: as medidas de duração, assim como as medidas do primeiro momento espectral, mostraram que pistas remanescentes do gesto vocálico permanecem no ruído das fricativas; os dados de FCR e VSA mostram que as vogais sofrem uma grande redução da magnitude em contexto de desvozeamento. Os resultados apontam para um efeito de sobreposição de gestos, em detrimento de uma síncope vocálica. Essa hipótese não caberia em descrições fonológicas tradicionais, as quais, em geral, lidam com operações simbólicas. O fenômeno em estudo pode, então, ser iluminado pela Fonologia Gestual (BROWMAN E GOLDSTEIN, 1992; BALL E KENT, 1997; ALBANO, 2001), a qual, em relação à representação tradicional, é capaz de expressar realizações gradientes, pois incorpora com sucesso os fatores tempo e magnitude, diretamente relacionados à ideia de movimento dos articuladores. (AU)

Processo FAPESP: 10/04902-0 - Estudo das vogais desvozeadas do português brasileiro: efeitos da relação cv e VC
Beneficiário:Francisco de Oliveira Meneses
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado