Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Influence of seston quantity and quality on growth of tropical cladocerans

Título (Português): Influência da quantidade e qualidade do seston sobre o crescimento de cladóceros tropicais
Texto completo
Autor(es):
Ferrão-Filho, A. S. ; Arcifa, Marlene Sofia ; Fileto, Claudia [3]
Número total de Autores: 3
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Brazilian Journal of Biology; v. 65, n. 1, p. 77-89, Feb. 2005.
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Ecologia
Assunto(s):Sazonalidade   Cladocera
Resumo

The seston of the small, shallow, and tropical lake Monte Alegre was tested for quantity and quality for cladocerans by growth bioassays, which were carried out in spring (Daphnia gessneri and Moina micrura), summer (D. gessneri, M. micrura, Ceriodaphnia cornuta, and Simocephalus mixtus), and winter (D. gessneri and D. ambigua). Cohorts of newborns originating from ovigerous females collected in the lake or from laboratory cultures were submitted, at a room temperature of 23ºC to the following treatments: (1) the chlorophytes Ankistrodesmus falcatus and/or Scenedesmus spinosus; (2) lake seston; and (3) lake seston + chlorophytes. Growth rate, clutch size, and fecundity were evaluated. Seston alone was not the best food for promoting cladoceran growth. There were seasonal differences in food quantity and quality with spring and summer seston being better for growth than that of the winter. Adding chlorophytes to the seston increased clutch size and fecundity for most species in summer and winter, but not in spring. Energy limitation seems to be the most important factor influencing cladoceran growth in summer and especially in winter. (AU)

Resumo

O séston do lago Monte Alegre, um lago tropical pequeno e raso, foi testado em relação à quantidade e qualidade para os cladóceros por meio de experimentos de crescimento realizados na primavera (Daphnia gessneri e Moina micrura), no verão (D. gessneri, M. micrura, Ceriodaphnia cornuta e Simocephalus mixtus) e no inverno (D. gessneri e D. ambigua). Cortes de recém-nascidos oriundos de fêmeas ovígeras coletadas no lago ou de culturas de laboratório foram submetidas à temperatura de 23ºC aos seguintes tratamentos: (1) as clorofíceas Ankistrodesmus falcatus e/ou Scenedesmus spinosus, (2) séston do lago e (3) séston + clorofíceas. Foram avaliados a taxa de crescimento, o tamanho da ninhada e a fecundidade. O séston sozinho não foi o melhor alimento para promover o crescimento dos cladóceros. Houve diferenças sazonais quanto à quantidade e à qualidade do alimento, sendo o séston da primavera e o do verão melhores para promover o crescimento que o do inverno. A adição de clorofíceas ao séston aumentou o tamanho da ninhada e a fecundidade para a maioria das espécies no verão e no inverno, mas não na primavera. A limitação de energia parece ser o fator mais importante para o crescimento de cladóceros no verão e, especialmente, no inverno. (AU)

Processo FAPESP: 97/10407-6 - Produtores primarios e consumidores no lago monte alegre: herbivoria, reciclagem de nutrientes e predacao
Beneficiário:Marlene Sofia Arcifa Froehlich
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo FAPESP: 98/14823-7 - O zooplâncton do Lago Monte Alegre: variação temporal e a influência das frações de tamanho do fitoplâncton sobre os cladóceros
Beneficiário:Cláudia Fileto
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo FAPESP: 98/12999-0 - Avaliacao sazonal da qualidade do seston como recurso alimentar para a comunidade zooplanctonica do lago monte alegre.
Beneficiário:Aloysio da Silva Ferrão Filho
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado