Busca avançada
Ano de início
Entree


Descrição e compreensão dos processos de perdas e luta vivenciados por uma pessoa com Esclerose Lateral Amiotrófica

Texto completo
Autor(es):
Juliana Peixoto Salgueiro
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Psicologia (IP/SBD)
Data de defesa:
Membros da banca:
Maria Julia Kovacs; Elaine Gomes dos Reis Alves; Delia Maria Catullo de Goldfarb
Orientador: Maria Julia Kovacs
Resumo

O presente trabalho teve como objetivo geral descrever e analisar os processos de luto e perdas progressivas, vividos por uma pessoa idosa com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), consciente destas perdas. Foi realizada uma pesquisa qualitativa, sob o enfoque fenomenológico, a partir de um estudo de caso. Como dados de análise, foram utilizados os relatos de sessões de psicoterapia domiciliar, com o consentimento livre e esclarecido da participante. Por meio desse material, foram selecionados os relatos em que se observavam a temática perda em decorrência da doença. Esses relatos compuseram quatro unidades de significado: Os Movimentos, A Fala, A Segurança e A Independência, caracterizadas pelas perdas mais significativas vividas pela participante durante o processo evolutivo da doença. As duas primeiras unidades estão relacionadas diretamente à doença, uma vez que figuram como características da ELA. As perdas da segurança e da independência estão presentes na maioria das situações de adoecimento. Sobre a vivência descrita nesse trabalho, destacam-se o vínculo familiar, o cuidador principal, a religião e o atendimento domiciliar como fatores que contribuem para o alívio do sofrimento da pessoa com ELA. Com relação à atuação do psicólogo, destacam-se, entre outras ações, a busca de recursos alternativos ao paciente diante das sucessivas perdas, considerando suas idiossincracias e necessidades específicas. A aproximação e o vínculo afetivo entre o profissional e o paciente, bem como o respeito aos seus valores e a sua história de vida são fatores fundamentais para a obtenção desses recursos. Além disso, o psicólogo deve oferecer ajuda e amparo aos familiares que também podem adoecer, necessitando de carinho e atenção profissional. Além da psicoterapia pessoal, para que essa experiência de atendimento tenha resultados positivos e satisfatórios para o estudante, para o profissional e, principalmente, para o paciente e seus familiares, são fundamentais os estudos sobre a morte e o morrer, as supervisões dos casos atendidos, o compartilhamento das vivências (AU)