Busca avançada
Ano de início
Entree


Passo Fundo: estruturação urbana de uma cidade média gaúcha

Texto completo
Autor(es):
Diego Ferretto
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU/SBI)
Data de defesa:
Membros da banca:
Maria Cristina da Silva Leme; Maria Encarnação Beltrão Spósito; Flávio José Magalhães Villaça
Orientador: Maria Cristina da Silva Leme
Resumo

O objetivo principal dessa dissertação consiste em analisar o processo de estruturação intra-urbana de Passo Fundo, à luz das dinâmicas socioeconômicas que a caracterizam como cidade média que desempenha funções de centro regional e de apoio ao agronegócio. Para tanto, assumindo a sobreposição de escalas analíticas como uma premissa de método, organizamos a pesquisa em duas partes. Na primeira, a partir de referencial teórico pautado em estudos da Rede de Pesquisadores sobre Cidades Médias (RECIME) e nas teorias de Milton Santos, buscamos analisar as relações horizontais que a cidade estabelece com a região, sobretudo através da oferta de comércio, saúde e educação superior; num outro nível de análise abordamos as relações verticais que se estruturam em rede, extrapolam a região e inserem Passo Fundo em circuitos econômicos globalizados relativos à produção de alimentos, como cidade de apoio ao agronegócio. Na segunda parte do trabalho, a partir dos estudos de Flávio Villaça sobre a formação do espaço intra-urbano brasileiro, analisamos a estrutura intra-urbana de Passo Fundo a partir de seus elementos principais (o centro, as áreas industriais e as áreas residenciais segundo as classes sociais) enfatizando suas localizações e a maneira como se articulam, assim como a atuação dos diferentes grupos sociais enquanto agentes produtores-consumidores do espaço intra- urbano. Em linhas gerais, observamos que as dinâmicas socioeconômicas regionais definiram o ritmo da urbanização de Passo Fundo que se intensifica na segunda metade do século XX, em função da reestruturação produtiva da agricultura e da consolidação da cidade como centro regional. Estruturada ao longo de caminhos regionais como local de passagem, a cidade passa a crescer em ritmo mais intenso após 1950, como destino principal das migrações do campo e de outras cidades do entorno. O incremento populacional gera novas demandas urbanas e evidencia a produção de uma periferia carente, em paralelo à concentração de investimentos públicos na área central, consolidada como local de moradia das classes de alta renda e objeto de valorização fundiária e imobiliária. Caracteriza-se assim um típico modelo de segregação centro-periferia, condicionado aos interesses de mercado e legitimado pelo Estado. Atualmente, o dinamismo econômico expresso pelo crescimento do setor terciário e pela industrialização da economia se manifesta na cidade a partir da inserção de novos vetores de expansão urbana, expressos pela implantação de um grande loteamento de uso misto de média e alta renda assim como de condomínios de luxo na periferia. Ressaltamos que embora se manifestem em diferentes intensidades e complexidades, os processos em Passo Fundo têm a mesma natureza daqueles observados em outras cidades médias e também nas metrópoles, uma vez que se inserem na mesma estrutura social e resultam, em última análise, da produção capitalista da cidade, legitimada pelo Estado e comandada pelas classes dominantes. (AU)