Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Diferenças sensoriais e motoras entre jovens e idosos: contribuição somatossensorial no controle postural

Texto completo
Autor(es):
Toledo, Diana R. [1] ; Barela, José A.
Número total de Autores: 2
Afiliação do(s) autor(es):
[1] Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Instituto de Biociências. - Brasil
Número total de Afiliações: 2
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY; v. 14, n. 3, p. 267-275, 2010.
Área do conhecimento: Ciências da Saúde - Educação Física
Assunto(s):Postura   Idosos   Envelhecimento   Controle motor
Resumo

Comparar o desempenho dos sistemas sensoriais e motor entre jovens e idosos e identificar as contribuições das possíveis diferenças para o controle postural. Vinte idosos (68,9±3,7 anos de idade) e 20 jovens (21,9±2,1anos de idade) realizaram testes visuais; somatossensoriais (sensibilidade cutânea e cinestésica); motores (torque articular e latência de ativação muscular) e de controle postural (postura ereta em semi-tandem). As análises de variância (ANOVAs) e as análises de multivariância (MANOVAs) indicaram desempenho inferior dos idosos nos testes sensoriais: acuidade visual (p=0,001); sensibilidade ao contraste visual (p=0,009); sensibilidade cutânea (p<0,001); sensibilidade cinestésica de joelho (p<0,001) e tornozelo (<0,001), e motores: torque em flexão de joelho feminino (p=0,010) e masculino (p<0,001); extensão de joelho feminino (p=0,002) e masculino (p<0,001); dorsiflexão de tornozelo feminino (p=0,029) e masculino (p=0,006), flexão plantar de tornozelo feminino (p=0,004) e masculino (p=0,004) e latência de ativação muscular (p<0,001). Os idosos também apresentaram maior oscilação corporal na direção ântero-posterior (p=0,035). Análise de regressão múltipla revelou que a percepção ao movimento passivo foi a única variável que contribuiu para a maior oscilação corporal na direção ântero-posterior em idosos, R2=0,142, p<0,05. Diferenças no desempenho sensorial e motor ocorrem entre jovens e idosos e atenção deveria ser direcionada para a contribuição do sistema proprioceptivo para o controle postural de idosos. (AU)

Processo FAPESP: 06/54022-1 - Controle postural em idosos: alterações sensoriais e/ou motoras?
Beneficiário:Diana Rezende de Toledo
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado