Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Irrompimento do primeiro molar permanente em crianças de 5 e 6 anos de idade: implicações da análise longitudinal para prevenção da cárie oclusal

Texto completo
Autor(es):
Frazão, Paulo [1]
Número total de Autores: 1
Afiliação do(s) autor(es):
[1] Universidade Católica de Santos (UNISANTOS). Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Stricto Sensu e Pesquisa - Brasil
Número total de Afiliações: 1
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Revista Brasileira de Epidemiologia; v. 14, n. 2, p. 338-346, 2011.
Área do conhecimento: Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Assunto(s):Erupção dentária   Dentição permanente   Dente molar   Crianças
Resumo

O tempo de irrompimento dentário é essencial para o planejamento de medidas de prevenção da cárie oclusal. Com a ampliação do ensino fundamental de oito para nove anos de duração, um número maior de crianças entre cinco e seis anos de idade é incluído na primeira série do ensino fundamental. O objetivo foi estimar as tendências do irrompimento dos primeiros molares permanentes em meninos e meninas de 5 e 6 anos de idade. Em estudo longitudinal, espaços dentários de 497 crianças de 60 meses e mais de idade foram examinados quatro vezes por um dentista calibrado (kappa > 0,97) durante 18 meses. O primeiro molar permanente foi considerado irrompido quando qualquer parte de sua superfície podia ser tocada por uma sonda de ponta esférica. A idade dos participantes foi medida em meses. Intervalos para 95% de confiança dos valores de prevalência e incidência foram apurados conforme o sexo para três coortes etárias: 60,0 a 65,9; 66,0 a 71,9; 72,0 a 77,9 meses. A razão entre as taxas de incidência foi estimada por meio de análise de regressão de Poisson. A maioria das crianças entre 66,0 e 71,9 meses e entre 72,0 e 77,9 meses tem pelo menos um molar permanente irrompido. No grupo de 66,0 a 71,9 meses, de cada três crianças pelo menos uma apresentou os quatro primeiros molares permanentes irrompidos. As tendências de irrompimento observadas justificam a necessidade da adoção de medidas de vigilância e de proteção específica em relação à lesão de cárie oclusal. (AU)

Processo FAPESP: 06/51300-0 - Custo efetividade da escovação dental supervisionada na prevenção da cárie dentária infantil
Beneficiário:Paulo Frazão S Pedro
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular