Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Floristics, structure and soil of insular vegetation in four quartzite-sandstone outcrops of "Chapada Diamantina", Northeast Brazil

Título (Português): Florística, estrutura e solo da vegetação insular em quatro afloramentos de quartzito-arenito na Chapada Diamantina, nordeste do Brasil
Texto completo
Autor(es):
Abel Augusto Conceição ; José Rubens Pirani ; Sergio Tadeu Meirelles
Número total de Autores: 3
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: BRAZILIAN JOURNAL OF BOTANY; v. 30, n. 4, p. 641-656, Dez. 2007.
Resumo

Soil islands on rocky surfaces often harbor aggregated vegetation that consists of insular plant communities. These islands are typical of the rocky outcrops and in various parts of Brazil form the so-called "campos rupestres" vegetation. Four of such sites have been selected in the state of Bahia, Northeast Brazil, for this comparative study on floristics and vegetation structure: three areas situated inside the "Parque Nacional da Chapada Diamantina" (Guiné, Fumaça and "Gerais da Fumaça") and one is at the border of the Environmental Protection Area of "Marimbus-Iraquara" ("Mãe Inácia"). All occurring vegetation islands were studied in four random plots of 10 × 10 m per site. Soil was often shallow, sandy and acidic. Vascular plant species were determined, with respective life forms and canopy coverage areas. The total number of species when all four sites were added was 135, and the number of species per island varied from 2 to 32. The areas of the 214 soil islands varied from 0.015 to 91.9 m², totaling 568 m² in the four sites. Monocotyledon families were dominant, essentially Velloziaceae, as well as Orchidaceae, Bromeliaceae, Amaryllidaceae and Cyperaceae. Among the eudicotyledons, dominant families were mainly Clusiaceae, Asteraceae and Melastomataceae. The biological spectra revealed that phanerophytes and hemicryptophytes predominated among the life forms, while chamaephytes had the largest coverage area. Epilithic and desiccant chamaephytes composed the most conspicuous interspecific associations, and were probably related to early successional processes. Sites closest to one another were not the most similar in structure, indicating that other factors more relevant than distance might be involved in the abundance of species in space. (AU)

Resumo

Ilhas de solo abrigam comunidades vegetais agregadas no espaço e delimitadas pela superfície rochosa. Tais ilhas são típicas dos afloramentos rochosos de várias regiões brasileiras e, por vezes, integram parte da vegetação chamada de campo rupestre. Quatro sítios caracterizados por elevadas proporções de superfície rochosa foram selecionados para este estudo de florística e estrutura vegetacional: três situados dentro do Parque Nacional da Chapada Diamantina (Guiné, Fumaça e Gerais da Fumaça) e um no limite com a APA Marimbus-Iraquara (Mãe Inácia). Sortearam-se quatro parcelas de 10 × 10 m por sítio, onde todas as ilhas de solo ocorrentes tiveram suas áreas estimadas. O solo foi em geral raso, arenoso e ácido. Foram determinadas as espécies de plantas vasculares, com respectivas formas de vida e áreas de cobertura vegetal. O número de espécies nos quatro sítios foi 135, variando de 2 a 32 espécies por ilha. As áreas das 214 ilhas de solo variaram de 0,015 a 91,9 m², somando 568 m² nos quatro sítios. Famílias de monocotiledôneas foram as dominantes, especialmente Velloziaceae, além das Orchidaceae, Bromeliaceae, Amaryllidaceae e Cyperaceae. Dentre as eudicotiledôneas ressaltam-se as Clusiaceae, Asteraceae e Melastomataceae. Os espectros biológicos revelaram as formas de vida fanerófita e hemicriptófita como predominantes, apesar da caméfita possuir maior área de cobertura. Espécies camefíticas epilíticas e camefíticas dessecantes formaram as associações mais conspícuas, provavelmente relacionadas com os processos iniciais de sucessão da vegetação na rocha. Os sítios mais próximos entre si não foram os mais similares na estrutura, indicando outro(s) fator(es) mais relevante(s) do que a distância, envolvidos na abundância das espécies no espaço. (AU)

Processo FAPESP: 99/05322-7 - A vegetação de afloramentos rochosos em topos de morros e montanhas da Chapada Diamantina, Bahia, Brasil
Beneficiário:Abel Augusto Conceição
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado