Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do Web of Science, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Efeitos do laser de baixa potência após reconstrução nervosa na adaptação do músculo sóleo de rato

Texto completo
Autor(es):
Silva-Couto, Marcela A. [1] ; Gigo-Benato, Davilene [1] ; Tim, Carla R. [1] ; Parizotto, Nivaldo A. [1] ; Salvini, Tania F. [1] ; Russo, Thiago L. [1]
Número total de Autores: 6
Afiliação do(s) autor(es):
[1] Univ Fed Sao Carlos UFSCar, Phys Therapy Dept, BR-13565905 Sao Carlos, SP - Brazil
Número total de Afiliações: 1
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY; v. 16, n. 4, p. 320-327, JUL-AUG 2012.
Citações Web of Science: 5
Resumo

CONTEXTUALIZAÇÃO: A reabilitaçao das lesões nervosas periféricas (LNP) ainda é um desafio para a fisioterapia. A terapia com o laser de baixa potência (LBP) é descrita como um recurso físico capaz de interagir com enzimas relacionadas à alteração da matrix extracelular. Denominadas metalopeptidases (MMPs), essas enzimas atuam durante a recuperação neuromuscular após LNP. No entanto, os efeitos da LBP no tratamento de músculos desnervados de contração lenta após LNP graves ainda são inconclusivos. OBJETIVO: Avaliar os efeitos de diferentes comprimentos de onda e densidades de energia de irradiação de LBP, aplicado sobre o local do nervo após LNP grave e reconstrução. MÉTODO: Ratos foram submetidos a neurotmese do nervo isquiático e neurorrafia término-terminal. Os parâmetros do laser são: comprimento de onda: 660 ou 780 nm; densidades de energia: 10, 60 ou 120 J/cm²; potência: 40 mw; spot: 4 mm². O índice funcional isquiático (IFC) e análises histológicas, morfométricas e zimografia foram realizados. ANOVA one-way e teste de Tukey (p<0,05) foram utilizados. RESULTADOS: Um padrão atrófico das fibras musculares foi observado em todos os grupos com LNP. A atividade das MMPs no músculo sóleo alcançaram níveis normais. Entretanto, o IFC permaneceu inferior à normalidade após a LNP, indicando incapacidade. Não houve diferença entre os grupos de LNP submetidos ou não à LBP em qualquer variável. CONCLUSÃO: O LBP é incapaz de retardar alterações degenerativas em músculos sóleos desnervados e é ineficaz na recuperação funcional de ratos. Novos estudos sobre a recuperação do músculo de contração lenta desnervados são necessários para apoiar a prática clínica. (AU)

Processo FAPESP: 10/11795-6 - Avaliação da ação do laser de baixa potência sobre a regeneração neuromuscular em ratos com axonotmese
Beneficiário:Thiago Luiz de Russo
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular