Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de unidade de tratamento de resíduos municipais via plasma, com produção de gás de síntese

Processo: 04/08938-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de maio de 2005 - 30 de abril de 2009
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Processos Industriais de Engenharia Química
Pesquisador responsável:Maria Antonia dos Santos
Beneficiário:Maria Antonia dos Santos
Empresa:Multivácuo Indústria e Comércio de Sistemas de Processos à Vácuo Ltda. - EPP
Município: São José dos Campos
Bolsa(s) vinculada(s):05/56963-5 - Desenvolvimento de unidade de tratamento de resíduos municipais via plasma, com produção de gás de síntese, BP.TT
05/55608-7 - Desenvolvimento de unidade de tratamento de resíduos municipais via plasma, com produção de gás e síntese, BP.TT
05/53677-1 - Desenvolvimento de unidade de tratamento de resíduos municipais via plasma, com produção de gás de síntese, BP.PIPE
Assunto(s):Reciclagem  Resíduos industriais 

Resumo

Tendo-se como premissa a crescente necessidade de se desenvolver processos seguros para a destinação final de resíduos diversos, o presente projeto tem como principal objetivo propor um conceito inovador de usina para tratamento desses materiais. Trata-se de um desenvolvimento que permitirá a destinação final de resíduos de origens diversas, de forma segura, eficiente e competitiva. Para isso, será utilizado o plasma térmico como um meio de tratamento a temperaturas muito altas, concebido para produção de gás de síntese (GS) e integrado com turbina a gás, em desenvolvimento pela empresa proponente, para co-geração de energia. Partindo-se de tecnologias desenvolvidas e em desenvolvimento, da capacitação técnica e da experiência acumulada pelos parceiros do projeto - Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e Mulltivácuo -, propõe-se nessa fase da pesquisa a construção de uma usina experimental a plasma térmico com capacidade de destruição de até 100 kg/h de materiais sólidos e secos. O reator plasma será redesenhado a partir de um forno já utilizado em pesquisa anterior de tratamento de resíduos da indústria de galvanoplastia. Nele serão empregadas tochas de plasma do tipo arco transferido e não transferido, já desenvolvidas. Sistemas acessórios já existentes no IPT serão recuperados e utilizados, entre eles fontes de potência para plasma, sistema de desmineralização e de ionização de água para tocha e fonte de plasma. Os materiais a serem utilizados para os ensaios iniciais serão especialmente preparados de maneira a simular resíduos denominados RDF (Refused Derived Fuel), com especial atenção para não inserir materiais organoclorados que durante a pirólise possam produzir compostos de alta periculosidade, a exemplo de dioxinas e furanos. (AU)