Busca avançada
Ano de início
Entree

RTI - 2007 - Programa de infraestrutura: plano anual de aplicação de recursos de infraestrutura de pesquisa

Processo: 07/51038-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Reserva Técnica para Infra-estrutura Institucional de Pesquisa
Vigência: 01 de maio de 2007 - 30 de junho de 2008
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Mecânica
Pesquisador responsável:Anselmo Eduardo Diniz
Beneficiário:Anselmo Eduardo Diniz
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Infraestrutura de pesquisa  Redes de computadores  Informática  Aquisição de equipamentos  Reserva técnica 

Resumo

A Faculdade de Engenharia Mecânica da UNICAMP ocupa atualmente uma área construída de 14207 m², sendo 10.322 m² de área útil distribuída entre sete departamentos, coordenações, áreas administrativas, salas de aulas, de alunos e de professores, bem como laboratórios. A FEM-UNICAMP pretende utilizar os recursos na melhoria da rede de informática e rede elétrica estabilizada, que servem a todos seus laboratórios de pesquisa e demais instalações que abrigam de forma direta nossos docentes pesquisadores, alunos de pós-graduação, que atuam nas áreas de engenharia mecânica, engenharia do petróleo e planejamento energético. Tanto nossa rede de informática, como nossa rede elétrica foram projetadas e construídas quando da construção do prédio que ora a FEM ocupa (isto nos anos de 1988 e 1989), sendo que somente a rede de informática sofreu modernização, há cerca de 10 anos atrás, com recursos concedidos pela própria FAPESP, através de projeto de infraestrutura submetido pela então Diretoria da faculdade. Na época a rede de informática da faculdade passou a contar com 1240 pontos de rede e, atualmente, já ultrapassamos 1600 pontos. A rede elétrica estabilizada da faculdade, entretanto, permanece a mesma desde a construção do prédio. Embora a FEM, obviamente, envide esforços para a sua adequada manutenção e melhorias, esta liberação de recursos, pela FAPESP para a FEM, contribuirá, de forma expressiva, para a melhoria de nossa infraestrutura, que atende a um crescente número de alunos e pesquisadores, de teses, de projetos de pesquisa, de computadores e de equipamentos. Os recursos indicados não são, obviamente, suficientes para uma modernização profunda destas 2 redes, mas a direção da FEM continuará envidando esforços para continuar este processo de modernização. Não obstante, estes recursos de infraestrutura FAPESP serão de grande valia neste esforço. (AU)