Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido no processo 17/17844-8:Upgrade de sistema de detecção para SAXS com porta amostra e janela

Processo: 19/07007-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2026
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Marcia Carvalho de Abreu Fantini
Beneficiário:Marcia Carvalho de Abreu Fantini
Instituição-sede: Instituto de Física (IF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/17844-8 - Sílica nanoestruturada como veículo protetor de vacinas e biomoléculas, AP.TEM
Assunto(s):Vacinas 
Página web do EMU: Página do Equipamento Multiusuário não informada
Agendamento de uso: E-mail de agendamento não informado

Resumo

Trabalhos de pesquisa sobre vacinas, incluindo orais, vêm sendo desenvolvidos de forma exitosa, através de uma parceria entre a academia e uma indústria farmacêutica nacional. Essa parceria é um projeto de responsabilidade público-privada, dadas as características de seu processo aberto de pesquisa conjunta e a cessão de patente para uso nacional, sem ônus para o Brasil. Estudos anteriores deram origem a uma abordagem inovadora, científica e tecnológica, que necessita ser ampliada para uso em polivacinas e novas biomoléculas. Estes estudos baseiam-se na utilização de adjuvantes/veículos a base de sílica nanoestruturada a serem disponibilizados para a população, com eficácia superior aos produtos existentes no mercado e menor custo. O presente estudo visa sintetizar, caracterizar e determinar a eficácia de sílicas nanoestruturadas com diferentes estruturas de poros e morfologias para o desenvolvimento de vacinas para difteria e tétano (DT) e Hepatite B para administração por via oral e/ou parenteral e, também, diminuir a toxicidade de toxinas, como já verificado em estudos preliminares. As análises dos produtos vacinais contemplam a possibilidade de diminuição das concentrações das proteínas, diminuição do número de doses, e reavaliações sobre os intervalos de doses em correlação com a indução de memória imunológica efetiva. Estudos preliminares indicam que a SBA-15 possibilita a diminuição de toxicidade de exotoxinas bacterianas e aqui essa característica será estudada incluindo venenos e toxinas de serpentes e de aranha. Além disso, as sílicas serão utilizadas como veículo protetor, a fim de favorecer o efeito da crotoxina (CTX) no controle da dor crônica, sua interferência sobre as respostas imune e inflamatória induzidas pela Encefalomielite Autoimune Experimental (EAE), e em modelos de neuropatia periférica como o de lesão de nervo periférico (PSNL). (AU)