Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle da infecção utilizando células NK expressando receptor antigênico quimérico (CAR) específico para Cryptococcus spp

Processo: 22/14188-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2023 - 31 de agosto de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Convênio/Acordo: University of Exeter
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Thiago Aparecido da Silva
Beneficiário:Thiago Aparecido da Silva
Pesq. responsável no exterior: Gordon Brown
Instituição no exterior: University of Exeter, Exeter, Inglaterra
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/18538-0 - Bioengenharia de células T e NK através de receptores CAR contra infecções fúngicas invasivas, AP.JP
Assunto(s):Terapia baseada em transplante de células e tecidos  Infecções fúngicas invasivas  Células matadoras naturais  Cryptococcus  Receptores de dectina-1  Receptores de antígenos quiméricos  Controle de infecções 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Células NK-92 | Cryptococcus spp | Dectina-1 | Dectina-2 | Receptor antigênico quimérico (CAR) | Terapia Celular e Infecção Fúngica Invasiva

Resumo

Terapia celular acoplada com Receptor Antigênico Quimérico (CAR) é uma nova abordagem que utiliza a bioengenharia de células da imunidade para torná-las específicas para um alvo com o objetivo de induzir a morte de patógenos ou células humana alteradas (câncer). Essa tecnologia envolve a modificação de células da imunidade com receptores quiméricos, na superfície celular, com a capacidade de reconhecer alvos específicos que permitem a atuação das células modificadas diretamente sobre o patógeno ou células cancerígenas. No Auxílio Jovem Pesquisador apoiado pela FAPESP, o grupo de pesquisa de da Silva tem avaliado a capacidade do CAR em redirecionar células T e NK para reconhecerem infecções fúngicas invasivas. Esse grupo tem desenvolvido distintos construtos do CAR específico para Cryptococcus spp. a partir de anticorpo monoclonal (clones 18B7 e 2H1) como domínio de ligação ao alvo que possibilita a interação com GXM, denominado GXMR-CAR. Esse receptor expresso por células T humana mediou a redução da frequência de células Titan de C. neoformans no tecido pulmonar de animais infectados (camundongos NSG). C. neoformans comumente afeta pacientes imunocomprometidos, como os indivíduos portadores do HIV ou submetidos ao tratamento com drogas imunossupressoras; enquanto o C. gattii é considerado um patógeno primário devido a habilidade para infectar indivíduos saudáveis. Cryptococcus spp. tem a capacidade de evadir do reconhecimento de receptores lectina tipo-C (CLR), como Dectina-1 e Dectina-2, que é capaz de mediar uma resposta imune contra a criptococose de forma mais eficaz. CLR desencadeia uma via de sinalização intracelular que promove o recrutamento de Syk quinase para iniciar uma cascata de sinal crucial para induzir uma resposta imune celular antifúngica protetora. O papel central de CLR na imunidade frente a fungos é o principal foco de pesquisa do laboratório do Gordon Brown que coordena um grupo líder na investigação da via de sinalização e resposta celular induzida por CLR. Na presente proposta, os grupos coordenados por Brown e da Silva buscam agregar suas expertises e atividades de pesquisa para gerar os novos construtos GXMR-Dectin-1-CAR e GXMR-Dectin-2-CAR para modificar células NK-92. Estudos prévios demonstram uma capacidade elevada da via de sinalização de receptores lectina tipo-C para induzir um direcionamento de perforina em células NK, inclusive a linhagem celular NK-92, no sítio de contato com as células alvo. Com isso, a ativação de vias de sinalização de Dectina-1 e Dectina-2 favorecerá a polarização de altos níveis de perforina para a sinapse entre as células NK-92 e o fungo, fato que propicia a citólise direta do fungo. Os investigadores que coordenam a presente proposta apresentam conhecimento necessário para desenvolver os novos construtos do CAR, além disso, a elevada capacidade da transdução de sinal dos receptores Dectina-1 e Dectina-2 para recrutar Syk quinase viabiliza o papel de GXMR-Dectin-1-CAR e GXMR-Dectin-2-CAR em polarizar uma produção aumentada de perforina para o sítio de contato entre as células NK-92 modificadas e o Cryptococcus spp. Portanto, a indução do killing de Cryptococcus spp. de forma dependente de perforina através das células NK-92 modificadas será avaliada no controle da infecção in vitro e in vivo de Cryptococcus spp. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)