Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento e validação pré-clínica de um regenerador dérmico baseado em colágeno tipo I

Processo: 23/02636-1
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de março de 2024 - 30 de novembro de 2024
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Laura Oliveira Rebouças
Beneficiário:Laura Oliveira Rebouças
Empresa Sede:Bio.Inn Ltda
CNAE: Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Município: São Paulo
Pesquisadores associados:Janaina de Andrea Dernowsek ; Sônia Maria Malmonge
Assunto(s):Engenharia tecidual  Bioengenharia  Biotecnologia  Biofabricação  Bioimpressão tridimensional  Cicatrização  Colágeno 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:biofabricação | Bioimpressão 3D | biotecnologia | cicatrização | colageno | regeneração dérmica | Bioengenharia/engenharia de tecidos

Resumo

A bioimpressão 3D é uma tecnologia em constante evolução e que apresenta várias tendências promissoras. Grandes avanços na manufatura aditiva permitiu a impressão 3D de materiais biocompatíveis, células e componentes de suporte em complexos tecidos biológicos. Essas estruturas biológicas reconstituídas podem ser usadas para uma ampla variedade de aplicações, incluindo a criação de tecidos de substituição para transplante, modelos de órgãos para estudos de doenças e testes de medicamentos, e a produção de tecidos artificiais para aplicações cosméticas e de pesquisa. Apesar dos avanços tecnológicos na área de cicatrização de feridas, grande parte dos curativos comerciais disponíveis são de fonte animal ou sintética, importados e de elevado custo. Portanto, desenvolver uma tecnologia nacional animal-free, eficaz e mais acessível, pode não somente melhorar a qualidade de vida da população, bem como alavancar a economia do país. Sendo assim, o processo da Quantis/Bio.inn poderá ser utilizado de forma segura na área médica, caracterizando um novo produto para tratamento de úlceras/feridas. O presente projeto visa desenvolver e validar, de forma pré-clínica, um produto com potencial cicatrizante utilizando o insumo QMatrix, uma solução de matriz extracelular (MEC) - composta principalmente por colágeno tipo I -, bioidêntica, produzida a partir do cultivo 3D de fibroblastos humanos. As proteínas da MEC são fundamentais para todas as fases da cicatrização, resultando em grande potencial de uso terapêutico. Após consulta à Anvisa, confirmamos o enquadramento do preenchedor QMatrix em produtos biológicos. Recebemos como resposta o ofício n.º 3/2022/SEI/GGBIO/DIRE2/ANVISA que diz que a GPBIO/GGBIO enquadra o produto final (preenchedor) como produto biológico, conforme Lei no 5.991/1973, e aponta a legislação vigente para o registro deste tipo de produto, a RDC n.º 55/2010, sendo demandados os seguintes estudos pré-clínicos não-clínicos in vivo - Estudos de farmacodinâmica relevantes para as indicações terapêuticas pretendidas, e estudos de toxicidade cumulativa (dose-repetida). Além da caracterização da substância ativa, analisando a estrutura primária, secundária, terciária e quaternária, massa molecular relativa, determinação da atividade biológica, determinação do grau de pureza, dados sobre agregados e determinação das propriedades físico-químicas e imunoquímicas. É necessário, também, o estudo in vitro da capacidade de cicatrização, bem como potencial de irritação cutânea. O processo que estamos desenvolvendo poderá ser utilizado de forma segura na área médica, visto que todos os insumos utilizados são animal-free e sem modificação genética, e o produto final é considerado bioidêntico ao humano. Este trabalho abre oportunidades de desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas no âmbito da cicatrização de feridas/úlceras utilizando o que há de mais inovador no campo da biofabricação de tecidos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)