Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação do uso do tubo traqueal sem balonete e com balonete preenchido com solução fisiológica, lidocaína ou ar em pacientes pediátricos

Processo: 10/18004-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2011 - 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Norma Sueli Pinheiro Módolo
Beneficiário:Norma Sueli Pinheiro Módolo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Anestesiologia  Cirurgia pediátrica  Intubação  Lidocaína 

Resumo

A intubação traqueal de pacientes pediátricos, especialmente de crianças com idade inferior a 8 anos, foi por muito tempo realizada exclusivamente com uso de tubos traqueais sem balonete devido o risco do mesmo causar lesão traqueal. Alguns estudos demonstraram a possibilidade do uso de cânulas traqueais com balonete de alta complacência e baixa pressão em crianças sem ter ocorrido aumento do risco de lesões de via aérea. Contudo, não há estudos comparando o uso de balonete preenchido com lidocaína alcalinizada e seus benefícios na população pediátrica. O uso da lidocaína no preenchimento do balonete apresentou bons resultados em adultos devido a prevenção do aumento da pressão do balonete durante a anestesia na qual se utilizava óxido nitroso.Objetivo: Comparar a eficiência e segurança do tubo traqueal com balonete preenchido com ar versus preenchido com lidocaína alcalinizada versus preenchido com solução fisiológica em crianças com idade de um a 13 anos submetidas a anestesia geral. Desenho de estudo: Estudo clínico pospectivo. Método: Mediremos a pressão do balonete dos tubos traqueais durante a anestesia utilizados em 200 crianças que serão distribuídos através de sorteio em cinco grupos como a seguir: G1 (n = 50) pacientes intubados com cânula traqueal cujo balonete será preenchido com solução fisiológica ; G2 (n = 50) pacientes intubados com cânula traqueal cujo balonete será preenchido com ar ambiente ; G3 (n = 50) pacientes intubados com cânula traqueal cujo balonete será preenchido com lidocaína a 1% alcalinizada ; G4 (n = 50) pacientes intubados com cânula traqueal cujo balonete será preenchido com lidocaína a 2% alcalinizada ; E também haverá um quinto grupo, G5 ( n = 50) pacientes intubados com cânula traqueal sem balonete. A metade dos pacientes de cada grupo terá óxido nitroso utilizado na anestesia. Gás ou líquido será retirado do balonete sempre que necessário para ajustar a pressão do balonete para valores abaixo de 20 cm H2O e será utilizado balonete de alta complacência e baixa pressão lubrificado com gel hidrossolúvel antes da intubação traqueal. Após 30 minutos do início da anestesia serão coletadas amostras de sangue periférico dos pacientes que tiverem o balonete do tubo traqueal preenchido com lidocaína para medida do nível sérico deste anestésico local. As incidências de desconforto após a extubação, odinofagia, disfagia, rouquidão e tosse serão avaliadas na sala de recuperação pós-anestésica e 12 horas após a anestesia. (AU)