Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização de vibrios isolados de ecossistemas costeiros, com ênfase na quantificação de V. cholerae

Processo: 13/09186-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2014 - 31 de outubro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Pesquisador responsável:Gabriel Padilla
Beneficiário:Gabriel Padilla
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ecossistemas costeiros  Água do mar  Vibrio cholerae  Tipagem de sequências multilocus 

Resumo

Os microrganismos são essenciais para o meio ambiente e contribuem para a estabilidade dos ecossistemas. No ambiente marinho, as bactérias são as espécies dominantes tanto em termos de abundância relativa como em termos de contribuição para os processos biogeoquímicos. Dentre estas, as do gênero Vibrio são abundantes nesse ambiente e eventualmente, podem ser patogênicas apresentando perigo para a saúde humana e animal. As principais espécies diretamente implicadas em surtos de veiculação hídrica e alimentar, segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) são V. parahaemolyticus, V. cholerae e V. vulnificus. Pouco se sabe a respeito da distribuição destas populações no ambiente costeiro brasileiro e do risco que podem representar. Assim, é necessário realizar estudos apropriados a fim de caracterizar e quantificar os perigos microbiológicos presentes nos ecossistemas marinhos, para a gestão e prevenção de surtos pelo consumo de alimentos e do uso recreacional, bem como compreender suas relações ecológicas e definir melhor sua taxonomia. O estudo tem como objetivo identificar e caracterizar Vibrio spp., isolados de amostras de água, plâncton e bivalves da região costeira de São Paulo de amostras de água de lastro e de regiões portuárias e cepas clínicas e ambientais da coleção do nosso laboratório de Ecologia Microbiana Molecular ICB-USP em nível fenotípico e genotípico, além de relacionar os resultados obtidos com as diferenças espaciais e presença de atividades antropogênicas existentes nos locais analisados. Dessa maneira, os isolados serão avaliados quanto a presença de genes associados à virulência (ctxA, tcpA, TDH, TRH, VSP-I e VSP-II), a susceptibilidade aos antibióticos e caracterizados pela técnica MLSA (Multilocus Sequence Analysis) utilizando seis genes (recA, pyrH, rpoA, toxR, rpoD e dnaJ). Assim também será avaliada e otimizada a técnica de extração de DNA total de amostras de água do mar e padronizada a técnica de PCR em Tempo Real para a quantificação de V. cholerae utilizando os genes: hlyA, O1 rbf, O139 rbf e ctxA em amostras do ecossistema marinho. O presente trabalho permitirá caracterizar e verificar a distribuição de espécies de Vibrios no litoral do estado de São Paulo, em água de lastro e regiões portuárias, bem como padronizar metodologias de extração de DNA total e de quantificação de espécies patogênicas e não patogênicas de V. cholerae em ecossistemas marinhos que possam ser aplicadas no monitoramento ambiental. (AU)