Busca avançada
Ano de início
Entree

Otimização de diagnose do amarelo da ameixeira com base na detecção e quantificação molecular do fitoplasma e sua distribuição sistêmica sazonal nos tecidos do hospedeiro

Processo: 14/05042-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2014 - 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Ivan Paulo Bedendo
Beneficiário:Ivan Paulo Bedendo
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Bactérias fitopatogênicas  Fitopatologia  Fitoplasmas  Ameixa  Diagnóstico de doenças em plantas  Análise de sequência de DNA 

Resumo

No Brasil, a cultura da ameixa tem atingido significativa importância econômica tanto em termos de rentabilidade, estimada em US$ 5.200 por hectare, como em geração de empregos no campo, por exigir mão de obra intensiva. O mercado tem se mostrado altamente favorável, sendo comercializadas cerca de 65.000 toneladas por ano. Além disto, o cenário é francamente promissor para expansão da cultura no país, uma vez que 50% da demanda nacional são provenientes da importação da fruta produzida em outros países. Em razão do potencial econômico, políticas de desenvolvimento regional têm sido implementadas para estimular o plantio. Os principais polos produtores estão nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Nos grandes centros mundiais produtores de frutas temperadas, as quais compreendem o gênero Prunus, os fitoplasmas são reconhecidos como causadores de perdas expressivas. As espécies de ameixa cultivadas no Brasil são exóticas e foram introduzidas a partir de material propagativo originário destes centros, levando, portanto, à suspeita da ocorrência de fitoplasmas nos pomares instalados no território brasileiro. Investigações preliminares conduzidas na ESALQ apontaram a associação entre fitoplasmas e plantas presentes em pomares comerciais. Com base nesta evidência, está sendo proposto o presente projeto de pesquisa com os objetivos de: demonstrar a presença a de fitoplasmas em pomares instalados em área de produção representativa localizada no estado de São Paulo; estudar a diversidade genética dos fitoplasmas encontrados nas plantas doentes, com base nas sequências nucleotídicas do gene 16Sr DNA; conhecer o modelo de distribuição sistêmica do patógeno nos distintos estádios fenológicos na planta; e determinar a ocorrência sazonal do agente de doença nos tecidos do hospedeiro. Para a etapa de detecção e identificação molecular de fitoplasmas associados com a doença, plantas com e sem sintomas serão coletadas em pomares comercias. O DNA será extraído e usado em ensaios de PCR e RFLP. Fragmentos genômicos do 16S rRNA serão clonados, sequenciados e analisados através de programas de computador e base filogenética. Para os estudos de colonização sistêmica e sazonal, determinadas plantas serão marcadas e amostradas mensalmente durante dois anos. O DNA será utilizado para quantificar o fitoplasma nos tecidos vegetais, usando-se PCR quantitativo (qPCR). Os dados serão interpretados para avaliar as épocas de maior concentração de fitoplasmas nos tecidos de folhas e raízes coletados dentro do referido período. Os resultados esperados poderão contribuir para tornar os diagnósticos mais seguros e confiáveis; dar suporte metodológico e técnico para os serviços de inspeção fitossanitária, buscando reduzir os riscos de introdução de material exótico infectado; auxiliar na certificação de mudas e matrizes; fornecer subsídios para a implantação de manejo mais adequado, visando o controle da doença. (AU)