Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento metodológico e aplicação clínica da dosimetria volumétrica (3D) na terapia com radionuclídeos do câncer de tireóide e outros tumores

Processo: 14/50091-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas para o SUS
Vigência: 01 de julho de 2014 - 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Radiologia Médica
Convênio/Acordo: CNPq - PPSUS
Pesquisador responsável:Marcelo Tatit Sapienza
Beneficiário:Marcelo Tatit Sapienza
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Dosimetria  Dose de radiação  Radionuclídeo  Neoplasias da glândula tireoide 

Resumo

A terapia com radionuclídeos é reconhecida como procedimento médico há mais de 70 anos. Dentre os procedimentos do Sistema Único de Saúde é representada principalmente pela radioiodoterapia do hipertireoidismo e do carcinoma de tireóide. A atividade de radionuclídeos empregada com finalidade terapêutica é quase sempre determinada de forma empírica. A dosimetria interna pode ser empregada para planejamento da terapia com radionuclídeos, por meio da mensuração de doses de radiação que levem a efeitos biológicos e determinísticos, tais como a morte celular. Estas doses devem ser determinadas para cada paciente, de forma produzir o efeito terapêutico no tumor com redução da toxicidade em tecidos sadios. Portanto, o cálculo dosimétrico em terapia deve utilizar parâmetros de biodistribuição, cinética, morfologia e geometria do próprio paciente; preferencialmente obtidos em. métodos de imagem tridimensional como o SPECT ou PET/CT. OBJETIVO: Desenvolver e aplicar clinicamente um método de dosimetria tridimensional com base em imagens SPECT e PET/CT, visando incorporar a dosimetria interna no planejamento da terapia de tumores com radionuclídeos., MÉTODO: 1) elaboração de modelo de cálculo dosimétrico volumétrico, com a aquisição de imagens seriadas PET/CT e SPECT/CT em simuladores e otimização de parâmetros de pré-processamento para composição de imagem paramétrica de dose absorvida; 2) validação do método dosimétrico desenvolvido frente a outros métodos dosimétricos, considerando-se como referência o sistema MIRD-Olinda/EXM; 3) aplicação retrospectiva do método dosimétrico em pacientes anonimizados; 4) aplicação clínica prospectiva do método dosimétrico e construção de banco de dados para futura correlação entre dose absorvida e efeitos da radiação. (AU)