Busca avançada
Ano de início
Entree

Temístio e Amiano Marcelino: constructors identetários entre suas concepções sobre a realeza em um Império Romano barbarizado (século IV D.C.)

Processo: 09/11736-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Antiga e Medieval
Pesquisador responsável:Margarida Maria de Carvalho
Beneficiário:Bruna Campos Gonçalves
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil
Assunto(s):Antiguidade tardia   História militar

Resumo

Buscaremos, no decorrer da pesquisa, perceber os ideais de Realeza que se propagaram no Império Romano no século IV d.C. Mais especificamente, nos relatos de dois autores que partilharam dos acontecimentos políticos ocorridos entre os governos de Constâncio II a Teodósio (337-395 d.C.), sendo eles: o filósofo Temístio (317-388 d.C.) com as orações V e VI, a primeira ao Imperador Joviano, por motivo de seu consulado e a outra "ao amor fraterno" ou "sobre a humanidade"; e o militar Amiano Marcelino (325/330-395 d.C.) com sua Res Gestae. Nesse período de transformações políticas pretendemos investigar se há uma Identidade e/ou Alteridade entre as elaborações dos conceitos de Realeza de Amiano e Temístio. Pensamos ser possível investigar isso porque na Iniciação Científica foi percebida a configuração de Identidade entre bárbaros e romanos no exército. Fator que indica a nova base sobre a qual o conceito de Realeza está sendo moldado.Preocupamo-nos em observar como um filósofo e um militar desenvolveram tais ideais em relação a três governantes distintos: Joviano (363-364 d.C.), Valentiniano I (364-375 d.C.) e seu irmão Valente (364-378 d.C.), por serem, até o momento, os imperadores romanos menos explorados pelas historiografias ibérica, francesa, britânica e nacional consultadas até o momento. Tais historiografias quando se referem a esses governantes, os mencionam de maneira pejorativa. Logo, nos propomos, também, a averiguar sob outras perspectivas as imagens daqueles imperadores legadas por essas historiografias.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
GONÇALVES, Bruna Campos. Constructos identitários entre os conceitos de realeza de Temístio e Amiano Marcelino ( Século IV D.C.. 2012. 139 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências Humanas e Sociais. Franca.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.