Busca avançada
Ano de início
Entree

Espaço doméstico e cultura material em São Paulo colonial a partir do estudo de acervos do Museu Paulista/USP

Processo: 11/10648-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 30 de setembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Maria Aparecida de Menezes Borrego
Beneficiário:Amauri Batista da Silveira
Instituição-sede: Museu Paulista (MP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/52585-4 - Espaço doméstico e cultura material em São Paulo colonial a partir do estudo de acervos do Museu Paulista/USP, AP.JP
Assunto(s):Cultura material   História do Brasil Império   Curadoria museológica

Resumo

A proposta da pesquisa a ser desenvolvida no programa Jovem Pesquisador é problematizar, a partir dos acervos do Museu Paulista, a formação das coleções e o histórico expositivo dos artefatos relacionados ao espaço doméstico colonial e, no mesmo movimento, a dimensão material da sociedade paulista ao longo do século XVIII e inícios do XIX. A questão central da pesquisa é a contextualização dos objetos musealizados, o que implica analisar tanto a constituição de acervos - procurando estabelecer a relação entre sua implementação e as estratégias de representação e legitimação de grupos sociais - como a trajetória dos artefatos na instituição, a fim de perscrutar o passado colonial paulista que se pretendeu representar por meio da disposição e arranjo na exposição museológica. Entretanto, não só o desvendamento dos caminhos percorridos pelos objetos no museu, como também a aproximação do contexto histórico de origem dos objetos e de usos precedentes fornece subsídios para desfetichizar as peças como relíquias, retirando-as da finitude tipológica e estilística de obras de arte. Nesse sentido, busca-se elaborar o percurso do objeto antes de seu ingresso na instituição, no esforço de identificar os usos que os indivíduos dele fizeram e as pessoas por ele articuladas. Para além dos documentos tridimensionais, a recorrência a fontes iconográficas e textuais - sobretudo inventários e testamentos - é fundamental para o estudo do espaço doméstico colonial, uma vez que as informações relativas aos atributos físicos, às funções utilitárias, aos usos sociais dos objetos e seu papel mediador na sociedade local favorecem o enquadramento dos artefatos como produtos e vetores de relações sociais e conferem inteligibilidade aos exemplares guardados no Museu Paulista. O plano de trabalho conta com a participação de 3 bolsista de IC da área de história e 1 profissional da área de TI na modalidade TT5 que desenvolverão respectivamente os seguintes sub-projetos: O espaço doméstico paulista em fontes textuais (1730-1740, 1770-1790, 1820-1830); O mercado de artefatos domésticos em São Paulo (1730-1740, 1770-1790, 1820-1830); O espaço doméstico colonial paulista em acervos do Museu Paulista/USP; Gestão eletrônica de acervos do Museu Paulista/USP relativos ao espaço doméstico colonial. (AU)